2nd South
Este fórum contém material para adultos,
destinado a indivíduos maiores de 18 anos.

Se você não atingiu ainda 18 anos,
se este tipo de material ofende você,
ou se você está acessando a internet de algum país
ou local onde este tipo de material é proibido por
lei, NÃO PROSSIGA!!!

Os autores e patrocinadores deste fórum não se
responsabilizam pelas conseqüências da decisão do
visitante de ultrapassar este ponto.

IORI YAGAMI VS CHIZURU YATA

Página 1 de 3 1, 2, 3  Seguinte

Ir em baixo

IORI YAGAMI VS CHIZURU YATA

Mensagem  Đεstroчεr ⌠ 八神 庵 ⌡ em Qui Nov 30, 2017 11:24 am



Đεstroчεr ⌠ 八神 庵 ⌡ vs Chizuru Yata

Cenário: ★ SOUND BEACH ★
Juiz: ☆Ɽµηηιηɡ Ⱳιɭδ☆Steel Wölf☆
Regra do Combate: Classic Rules, Story mode.
10 Rounds e 1 defensivo com 10 dias de prazo para postagem.
Iori inicia o combate!

avatar
Đεstroчεr ⌠ 八神 庵 ⌡
Administrador
Administrador

Aniversário : 25/03/1975
Lugar de Origem : Tóquio, Japão
Mensagens : 173
Data de inscrição : 11/08/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

PRÓLOGO!

Mensagem  Đεstroчεr ⌠ 八神 庵 ⌡ em Qui Nov 30, 2017 11:30 am



STORY MODE - PRÓLOGO
八神 庵 vs 神楽 ちづる
008 - "The Indigo Inferno of Misanthropy"



ㅤㅤ2016 - SOUTH TOWN - ATUALMENTE



ㅤㅤ─ Então, você quer mesmo lutar comigo aqui? – Perguntou o ruivo, em um tom descontraído enquanto observava a paisagem da praia da primeira cidade dos pecados.

ㅤㅤ─ Sim. Eu gosto daqui. É calmo e me traz boas lembranças. – Respondeu a mulher japonesa que estava ao seu lado, trajada com suas elegantes vestes de sacerdotisa.

Os dois ficaram olhando para a praia e todo seu movimento. As pessoas pareciam ignorar os dois – o que era um alívio para o homem, afinal, ele não desejava ser incomodado por algum fã do mundo das lutas. Pelo menos, não naquele momento.

ㅤㅤ─ Você sabe que tenho mania de causar alguns estragos nos lugares que luto, não sabe? – Ele virou sua cabeça olhando para ela, esperando que a mesma lhe devolvesse o olhar. Mas ela continuou sorrindo e encarando a paisagem a sua frente.

ㅤㅤ─ Você não vai destruir esse lugar. Sempre imaginei como seria eu, você e uma criança... Passando as férias aqui. – O comentário dela fez Iori se espantar. E ela deu risada com isso. Outra criança? Isso quer dizer que ela não estava apenas querendo lutar com ele ali, era uma promessa também.

ㅤㅤ─ Férias... Uma Criança... E eu e você? É... Talvez não seja uma boa ideia causar muitos estragos na praia. – Os dois estavam de mãos dadas naquele lugar, o que não era uma coisa muito comum de se ver com Iori Yagami. Ele parecia determinado a cumprir com esse desejo, de lutar com ela ali agora e depois, em algum tempo no futuro, voltar para esse mesmo lugar para descansar e relaxar ao lado de sua família com ela.



ㅤㅤ2025 – South Town – Sound Beach – O retorno.



ㅤㅤEra um dia de sol quente, com o clima perfeito para se fazer uma caminhada na areia da praia ou curtir a água do mar. Coisas que nunca farão o tipo de Iori Yagami, mesmo naquele estágio tão avançado de sua vida. Apesar de manter ainda o seu porte físico de um lutador, o ruivo havia deixado os torneios por algum tempo para poder focar no treinamento e no crescimento da Shizune Ayumi. A garotinha de apenas quatro anos se parecia muito com a mãe, Chizuru Kagura, que naquele momento não estava presente com os dois. Ela tinha o mesmo rosto oval, o mesmo cabelo negro e liso com uma tiara branca idêntica ao que a mãe sempre usa. Ela usava um vestidinho branco com sapatinhos de mesma cor e estava de mãos dadas com Iori, olhando para todos os lados, entusiasmada com o lugar.

ㅤㅤShizune era uma criança especial. Ela não herdou os poderes de Iori e nem de Chizuru, apenas a aparência da mãe e às vezes, um comportamento explosivo igual o do pai. Mas fora isso, ela era uma garotinha bastante educada e animada, que vivia perguntando sobre quase tudo para Iori e Chizuru. Naquele dia, ela estava curiosa com a praia, já que era sua primeira vez em um lugar como esses. Ela puxava a mão do pai, tentando desviar ele do caminho que percorriam, apontavam para os restaurantes, pessoas e carros, sempre fazendo perguntas. “O que era isso? O que era aquilo? Quem são aquelas pessoas?” – E Iori: “São carros. Aquilo é um caminhão. E são apenas pessoas.”

ㅤㅤOs dois seguiram mais um pouco até pararem para se sentar em um banco livre no calçadão que separava a praia das ruas. Ali, Iori sentou-se ao lado da menina que ficou quietinha, olhando pra paisagem e para os lados, cantarolando alguma coisa que ele não soube identificar o que era.

ㅤㅤ─ Está gostando da praia, Shizu?

ㅤㅤ─ Sim! Nós vamos morar aqui, papai?

ㅤㅤ─ Não. Ficaremos só alguns dias aqui. Depois voltamos pro Japão.

ㅤㅤ─ Porque não vamos morar aqui?

ㅤㅤ─ Já te expliquei isso umas três vezes. Sua mãe tem as coisas dela para fazer lá e você tem que fazer mais um ano para começar a treinar artes marciais. O Japão ainda é o melhor lugar pra nós.

ㅤㅤ─ Hum... Papai?

ㅤㅤ─ O que?

ㅤㅤ─ Como você e a mamãe se conheceram?

ㅤㅤ─ Essa é uma longa história.

ㅤㅤ─ Me conta, papai?

ㅤㅤ─ Não seria melhor esperar ela chegar com seu sorvete, menina?

ㅤㅤ─ Mas ela tá demorando. Vai papai, conta! Conta!

ㅤㅤ─ Caramba... Certo, certo. Eu conto. Mas só se prometer ficar quieta e me interromper quando for conveniente. Entendido?

ㅤㅤ─ O que é conveniente?

ㅤㅤ─ Ah, esquece. Deixe-me ver... Por onde começo? – O ruivo ficou pensativo por um momento, revirando suas memórias sobre o passado dele com Chizuru Kagura. A menina conhecia muito bem as histórias de lutas do seu pai, mas nunca contaram como foi a vida dele ao lado de sua mãe.

ㅤㅤ─ Antes de começar essa história... Nove anos atrás, estive nessa praia com sua mãe. Prometi a ela que voltaríamos a essa praia quando estivéssemos casados e com um filho. E levou tudo isso pra chegarmos a esse acontecimento. Logo após essa promessa, iniciamos uma luta... Ali. – Ele apontou o dedo para o local onde travaram a batalha.

ㅤㅤ─ Vocês brigaram ali?

ㅤㅤ─ Não foi brigar. Foi lutar. É diferente.

ㅤㅤ─ Mamãe disse que briga envolve lutas.

ㅤㅤ─ Pra mim é completamente diferente. Mas que seja. O importante é que não estávamos brigando... Estávamos... Nos conhecendo melhor. É assim que lutadores ‘conversam’ numa luta.

ㅤㅤ─ E como foi lutar com ela, papai?

ㅤㅤ─ Sua mãe? Aquela mulher é a mulher mais difícil de enfrentar. Você sabe os truques mágicos que ela tanto faz pra divertir você algumas vezes? Sendo duas, três ou até mesmo quatro ao mesmo tempo? Ela já me espancou muito usando essa mágica dela.

ㅤㅤ─ Papai apanhando da mamãe? Deve ser engaçado!

ㅤㅤ─ Não. Não é engraçado.

ㅤㅤ─ Então a mamãe é muito forte?

ㅤㅤ─ Mais forte do que pensa. Ela passou por muita coisa na vida e confesso que algumas delas tiveram consequências ruins por causa de meus atos. Mas sempre que possível, eu ajudei ela a dar a volta por cima. Ela também retribuiu o gesto quando precisei de ajuda. Houveram seres que zombavam da força dela, amigos que traíram ela e principalmente uma corja de inimigos que tentaram diversas vezes arrancar os poderes de sua mãe como se ela fosse sempre a donzela em perigo. Mas eu dei um basta nisso!

ㅤㅤA menina sorria com a maneira que o pai contava-lhe a história, mostrando um grande interesse em conhecer mais da história e do passado das pessoas que tanto admira. Iori ainda tinha muito o que contar para ela, já que eram tantos momentos e experiências vivenciadas por todos esses anos.

ㅤㅤ─ Essa foi a última luta de vocês? - Perguntou Shizune.

ㅤㅤ─ Não diria a última... Mas foi a que marcou nossas vidas em definitivo. Ei, não precisa me olhar com essa cara de pidona... Eu vou contar todos os detalhes. – Iori respirou fundo. Ele olhou para o céu azul acima de suas cabeças e buscou relembrar dos primeiros acontecimentos que levaram aquela luta a ocorrer em South Town.


ㅤㅤ2016 – A hora da luta:


ㅤㅤA cidade estava passando por uma reforma depois dos acontecimentos do último torneio realizado por ninguém menos que a capirota esposa de Terry Bogard. Depois de resolvida toda a desgraça que fora responsável pela destruição da cidade e morte de muitas pessoas, a paz reinou por um período. Durante esse tempo, um amigo oculto estava sendo organizado para acontecer no Dark Palace de Second dentro de alguns dias, logo, além de se recuperar das últimas batalhas e relaxar um pouco, ele teria de pensar no que dar a pessoa que tirou nessa brincadeira idiota e acompanhar Chizuru e as outras meninas que também participariam.

ㅤㅤDurante aquele dia, eles caminharam uma boa parte da cidade juntos e estavam passando por Sound Beach quando Chizuru pediu para parar e observar a paisagem. Ela dizia sobre uma recordação que tinha com Mai, King e outras lutadoras do King of Fighters que a convidaram para aproveitarem um final de semana ao sol quente da praia. Era estranho para Iori ver que Chizuru havia se socializado mais com as pessoas desde que entrou para os torneios do The King of Fighters em 1996. Antes, ela sempre teve a reputação de uma mulher séria e dedicada ao seu trabalho nas empresas Kagura e como guardiã do selo que mantém Yamata no Orochi em seu sono eterno. A companhia de Mai Shiranui e King em 1997 mudou completamente Chizuru, tirando-a dessa vida séria e aprendendo a curtir um pouco mais ao lado das outras pessoas. E talvez fosse por essa influência das amigas que fizera que eles dois estão juntos hoje, fazendo coisas de casal comum, passeando, conversando e se conhecendo como pessoas e não lutadores.

ㅤㅤO tempo que passaram observando as pessoas na praia deixou Iori entediado. Sua lembrança de praia não era uma das melhores, até porque sempre tinha aquele incomodo do Kusanagi por perto para lhe tirar a pouca paz. Por sorte, aquele miserável não estava por perto para interromper o momento a sós dos dois. Ele ficou ao lado dela, com braços cruzados.

ㅤㅤ─ Hoje completa vinte anos que nos conhecemos. Em 96, eu me lembro de estar subindo no ringue daquele coliseu que você ergueu para divulgar as finais do torneio. Do outro lado estava meu inimigo com seus burros de carga. E eu, aliado as duas secretárias de Rugal que depois revelaram serem as Hakeshus de Orochi. Até hoje eu não perdoei você por ter interrompido aquela luta, sabia?

ㅤㅤO ruivo deu um riso baixo enquanto suas pálpebras se fechavam. Ele se lembrava daquele embate como se fosse ontem.


ㅤㅤ1996 – Finais do Torneio KOF


ㅤㅤEle esperou pacientemente pela sua vez de lutar e Kyo também. Os dois eternos rivais deixaram seus parceiros serem os primeiros a lutar, já que as regras eram 3 vs 3. Mas eles determinaram que, assim que dois de um lado caísse, o vitorioso cederia espaço para o líder do time lutar. E foi o que aconteceu. Benimaru derrotou Mature, mas acabou sobrepujado por Vice. Depois, Goro tratou de finalizar Vice e entregou a luta para que Kyo subisse e enfrentasse Iori.

ㅤㅤNaquele instante, o sangue de Iori fervia. Era a sua chance de se vingar pela derrota de 1995 e humilhar Kyo na frente do mundo inteiro. O combate foi feroz. As duas forças colidiram como se fossem deuses guerreando, determinados a vencerem aquela luta custe o que custasse. O ódio havia sido deixado de lado no combate e apenas o orgulho de seus nomes era o que importava. A luta estava chegando ao seu clímax quando Iori preparou sua técnica mortal: O Massacre das Donzelas. Enquanto Kyo, do outro lado, preparava a única técnica que ele parecia saber usar nos momentos de desespero: A Orochinagi.

ㅤㅤOs espectadores e telespectadores pareciam apreensivos com a luta. Até mesmo os demais participantes eliminados assistiam sem tirarem os olhos um minuto sequer do duelo dos dois guerreiros de clãs inimigos. E foi no instante que as duas técnicas iriam colidir que uma mulher apareceu no meio do ringue, anulando ambos os ataques. Uma mulher esguia, alta e bem elegante, de beleza imensurável. A responsável pela organização, divulgação e realização do The King of Fighters de 1996: Chizuru Kagura. A última representante viva do clã Yata e terceira integrante do grupo dos tesouros sagrados que Iori e Kyo eram associados nas lendas.

ㅤㅤ─ Meus parabéns. Foi uma luta impressionante! – Disse ela, com um semblante sério e um sorriso no rosto, observando os dois lutadores que não entendiam absolutamente nada.

ㅤㅤ─ Quem é você? – Aos rosnados de raiva, Iori avançou sobre a mulher segurando-se para não esbofetear a cara dela. Mas ela não se moveu com a suposta ameaça do ruivo. Pelo contrário. Olhou para ele e sorriu. Era um lindo sorriso.


ㅤㅤ2016 – Sound Beach


ㅤㅤ─ Eu estava certo de que iria vencê-lo. De que iria mata-lo. E você impediu de acontecer, tudo por causa da ameaça de Orochi que estava perto de reencarnar. Eu detesto quando interrompem minhas lutas... Sinto uma raiva imensa quando o fazem e a única coisa que penso é matar o responsável de formas extremamente dolorosas... Mas você, eu nunca pensei em te matar. Só dar uns tapas de vez em quando. Mas nada além disso.

ㅤㅤIori tirou uma das mãos do bolso e olhou diretamente para a palma. Depois para os dedos e unhas, como se estivesse armando as ‘garras de tigre’, estilo baseado na arte marcial dominante no seu estilo de lutar.

ㅤㅤ─ Mas você sempre tinha alguma razão ou motivação pra me impedir de matar alguém, por mais que a pessoa fosse merecedora.

ㅤㅤIori se calou por um breve momento, dando oportunidade de Chizuru dizer algo. Para a surpresa dele, ela o lembrou de uma possível luta entre os dois.

ㅤㅤ─ Então, você quer mesmo lutar comigo aqui?

ㅤㅤ─ Sim. Eu gosto daqui. É calmo e me traz boas lembranças.

ㅤㅤ─ Você sabe que tenho mania de causar alguns estragos nos lugares que luto, não sabe?

ㅤㅤ─ Você não vai destruir esse lugar. Sempre imaginei como seria eu, você e uma criança... Passando as férias aqui.

ㅤㅤ─ Férias... Uma Criança... E eu e você? É... Talvez não seja uma boa ideia causar muitos estragos na praia.

ㅤㅤDe mãos dadas, Iori e Chizuru desceram até o local apropriado para iniciar o combate. Sound Beach localizava-se na região sul de South Town e era comum para se encontrar Blue Mary, Terry Bogard ou Michael Max. O lugar era repleto de banhistas, surfistas e sua paisagem era repleta de navios passando no fundo além de dar visão a restaurantes e hotéis instalados por perto da região.

ㅤㅤIori e Chizuru resolveram lutar na região mais afastada dos banhistas e de toda aquela areia. Um local onde não havia ninguém ali para ser pego pela colisão de poderes. Ciente ele estava de que uma hora ou outra, apareceriam alguns curiosos para assistir o combate – afinal, estavam num lugar onde a porradaria comendo solta era mais atrativo que os pontos turísticos da cidade. Ele posicionou-se sobre as tábuas de madeiras, no canto esquerdo, enquanto Chizuru ficaria a sua direita.

ㅤㅤPosicionou-se frente a ela, aderindo a posição do Sei Ping Ma (A postura do cavalo) com a Da Sam Sing (A Explosão das três estrelas). Esses dois estilos eram muito utilizados e trabalhados na postura de combate do Hung Gar Kuen, que envolve o trabalho perfeito dos braços e mãos para ataques, defesas e contra-ataques, além de um condicionamento perfeito do corpo. Os braços posicionaram-se em alturas diferentes: A direita ficava a frente de seu rosto, logo abaixo de seu queixo, com suas mãos em posturas de garras de Tigre (Ou Fu Jia, no original), onde apenas os dedos indicadores, médio e polegar seriam utilizados. Os outros dedos, anelar e mindinho, ficavam ‘fechados’ por não serem utilizados nessa técnica. O outro braço, posiciona-se na altura da barriga e também mantém as presas do tigre expostas, prontas para atacar. Iori encarava sua mulher nos olhos, abrindo um sorriso de canto para ela, enquanto pronunciava-se.

ㅤㅤ─ Esta é sua chance, Chizuru! Hora de decidirmos quem é o mais forte!

ㅤㅤUma longa história – e batalha estava começando.









avatar
Đεstroчεr ⌠ 八神 庵 ⌡
Administrador
Administrador

Aniversário : 25/03/1975
Lugar de Origem : Tóquio, Japão
Mensagens : 173
Data de inscrição : 11/08/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: IORI YAGAMI VS CHIZURU YATA

Mensagem  ♔ChizuruYata ✡ вσssкαgυrα em Qui Nov 30, 2017 2:27 pm



StoryMode:Prólogo


Southtown, Sound Beach: 2025.




ㅤㅤㅤㅤEles continuam a caminhada no calçadão da praia enquanto eu fico comprando sorvete. Peço três para o homem que estava na banca e aguardo. O lugar realmente se reconstruiu de forma incrível, a última vinda à praia ela estava completamente destruída após os desastres que assolaram as duas cidades.


ㅤㅤㅤㅤEm minha mente está a teimosia de Iori, tanta coisa para ensinarmos a menina e ele insiste em começar a fazer treinamentos com ela no momento que ela completar cinco anos de idade. A voz do atendente chama minha atenção, eu pago e agradeço tomando os sorvetes nas mãos e faço o caminho da dupla que seguiu em minha frente. Eles já estão sentados no banco quando consigo ter a visão dos dois novamente.


ㅤㅤㅤㅤO olhar de Shizune chama minha atenção, com certeza Iori está contando alguma das histórias dele para ela. Os olhos da menina ficam vidrados no rosto do pai absorvendo cada palavra que ele fala. Isso é bom e também ruim, depende de como ele está falando as coisas para a menina. O que acaba a fazendo repetir palavras que ele fala mesmo sem ela saber seu significado.


ㅤㅤㅤㅤParo alguns passos antes de chegar, sem chamar atenção, ao ouvir que ele falava da luta que tivemos aqui no ano de 2016. Olho para os sorvetes e sei que se não levá-los logo irão derreter. Continuo a andar e chego ao banco onde estão os dois, parando os passos em frente dos dois.


ㅤㅤㅤㅤ— E o mais forte é a mamãe, claro. – falo interrompendo a história e entregando os sorvetes para ambos.


ㅤㅤㅤㅤ— É sério mamãe?! – ela olha com o rosto sério e compenetrado na história.


ㅤㅤㅤㅤ— Sim. Seu pai tem o pavio curto demais em combates.


ㅤㅤㅤㅤ— O que é pavio? – ela pergunta confusa.


ㅤㅤㅤㅤEu sorrio e passo a mão sobre a cabeça dela. Olhando para o rosto dele e sorrindo.


ㅤㅤㅤㅤ— Toma seu sorvete, a mamãe continua a história e vai entender bem o que é ser pavio curto. – falo apontando para o sorvete que começava a derreter na mão dela.


Southtown, Sound Beach: 2016.




ㅤㅤㅤㅤTudo está destruído e as pessoas estão a uma semana limpando e construindo tudo que conseguem. O que foi perdido foi deixado para trás com muita dificuldade, mas as maiorias das coisas deverão ser repostas.
Mas a paisagem natural do lugar continua intacta, a praia é linda e inspiradora. O que me faz lembrar um dia na praia com Mai e King foi um dia que me trouxe um pouco de diversão para minha vida regrada e atarefada.


ㅤㅤㅤㅤO comentário dele sobre o ano que nos conhecemos me faz desviar atenção do lugar para fitá-lo algum tempo, enquanto ele narra sua lembrança de 96.


ㅤㅤㅤㅤ— Foi interessante ver sua expressão confusa e com raiva. E ao mesmo tempo você não conseguiu fazer nada comigo, ninguém fica ileso dos seus acessos de raiva pelo que você sempre fala. Qual o motivo de eu sair? – falo com um sorriso nos lábios.


ㅤㅤㅤㅤ— E não adianta dizer que é por que tínhamos que aprisionar Orochi. – continuo a falar com o olhar fixo ao dele.


Southtown, Sound Beach: 2025.




ㅤㅤㅤㅤOlho para a menina que está sorrindo e toda lambuzada com o sorvete que terminava de comer.


ㅤㅤㅤㅤ— Conta mais mamãe! – ela fala enfiando o resto do sorvete na boca.


ㅤㅤㅤㅤ— Seu pai sempre dá um jeito de contornar a conversa quando o deixo encurralado com alguma pergunta. Mas uma coisa que prefiro não compartilhar é essa raiva que ele tem por uma pessoa, vai ficar aquele velho rabugento, sabe? Que não pode ver a pessoa que reclama. Isso é chato, não aprenda isso com ele. – falo e olho para Iori dando uma piscadela.


ㅤㅤㅤㅤMinha mente volta ao dia da luta e continuo a contar a história para Shizune.


Southtown, Sound Beach: 2016.




ㅤㅤㅤㅤ— Por que não cabe a você julgar quem merece ou não morrer, Iori. Pode ser a pior pessoa, com atos deploráveis. Você matar, só fará você igual. Agora vamos a nossa luta, hora de lutar sem sede de sangue ou será que despertarei seu instinto mais cruel? – eu falo olhando fixamente no rosto dele encarando o olho rubro solitário que se fazia visível em seu rosto.


ㅤㅤㅤㅤA lembrança da luta estendeu nosso papo para outros detalhes além da luta por mais alguns minutos, isso me fez sorrir novamente e abanar a cabeça voltando a olhar a paisagem borrada da praia naquele momento.


ㅤㅤㅤㅤO lugar que escolheram para ir era em seus melhores dias comum para se encontrar Blue Mary, Terry Bogard ou Michael Max. O lugar era repleto de banhistas, surfistas e sua paisagem repleta de navios passando no fundo além de dar visão a restaurantes e hotéis instalados por perto da região. Contudo um furacão recentemente passou pelo lugar o destruindo por completo, o que se via era andaimes de construções e vários mutirões de limpeza pelo arredor.


ㅤㅤㅤㅤCom a visão de posição de luta dele em minha frente e a forma com que ele fala, deixo o sorriso se alargar em meu rosto e movo meu corpo de forma com que posso ficar de prontidão para tanto defender-me como atacá-lo. Deixando minha perna direita firme no chão virando de lado, minha mão direita ficava perpendicular em meu corpo estendida onde meus dedos estão também esticados e somente o dedo recolhido para dentro da mão. Minha perna esquerda fica a frente, na visão de Iori que está frente a frente comigo, e ergo minha mão esquerda de forma que formo um ângulo de noventa graus entre meu tronco e meu braço. Os dedos estão apertos e somente o dedão recolhido para dentro da mão.


ㅤㅤㅤㅤMeu olhar está sério e fixo no rosto dele. E com um movimento de cabeça dou  a confirmação que ele poderia começar quando desejasse e também falo.


ㅤㅤㅤㅤ— Leve a luta à sério, Iori. Tem muita coisa que perdeu sobre mim esses anos e são longos vinte anos.





avatar
♔ChizuruYata ✡ вσssкαgυrα
Visitante
Visitante

Aniversário : 26/06/1974
Lugar de Origem : Tóquio, Japão.
Mensagens : 34
Data de inscrição : 13/08/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

ROUND 1 MOVE 1

Mensagem  Đεstroчεr ⌠ 八神 庵 ⌡ em Qui Nov 30, 2017 2:51 pm



STORY MODE - ROUND 1 - MOVE 1
八神 庵 vs 神楽 ちづる
008 - "The Indigo Inferno of Misanthropy"



ㅤㅤSOUND BEACH (SOUTH TOWN) – ANO 2025.



ㅤㅤIori estava prestes a contar o começo da batalhe entre ele e Chizuru quando sua esposa chegou com os sorvetes para os dois. Shizune ficou mais atenta a mãe quando ela chegou interrompendo Iori dizendo ser a mais forte. Iori soltou um “Bah!” quando ouviu isso, pegando o sorvete de flocos que lhe foi dado e passando a tomar enquanto a esposa começava a contar o seu lado da história, além de chamar o marido de pavio curto.

ㅤㅤ─ O que é pavio? ─ A menina, sentada no meio dos dois no banco da calçada, olhava para eles esperando por uma resposta. E Chizuru disparou.

ㅤㅤ─ Tome seu sorvete, a mamãe continua a história e vai entender bem o que é ser pavio curto.

ㅤㅤIori, por outro lado, repetiu as últimas palavras dela em um tom de deboche.

ㅤㅤ─ “Pavio curto.” Isso não é verdade. Digo... Não totalmente.

ㅤㅤE as lembranças retornam para o ano de 2016, nove anos atrás. Momentos antes descerem na praia para comer o combate, Chizuru lembra Iori do fato dele nunca conseguir ir contra ela em nenhum momento da história. Ele chegou a enfrentar Chizuru em 1996, como um teste proposto por ela mesma para saber se ele e Kyo eram dignos de enfrentarem Orochi. E depois, eles uniram forças pela primeira vez para enfrentar Leopold Goenitz, o padre alemão que também era um dos reis celestiais de Orochi, controlador da fúria dos ventos.

ㅤㅤA memória daquela batalha era nostálgica. E talvez tivesse um pouco de semelhança com o ocorrido na cidade em 2016. Um enorme furacão se formou dentro do coliseu montado para as finais do torneio e todos os torcedores que pagaram seus assentos nos melhores lugares para presenciar seus ídolos do mundo das lutas digladiando-se foram sugados pela densa ventania do rei celestial. O caos tomou conta do local, eram gritos de medo e desespero enquanto, inutilmente, tentavam se segurar nas cadeiras, nas paredes e nos pilares espalhados pelo cenário. Os lutadores desclassificados conseguiram se safar, mas os inocentes... Todos pereceram.

ㅤㅤNaquela batalha, Iori aprendeu que seu destino estava ligado eternamente a ser amaldiçoado, a não ser que ele unisse forças com seu maior inimigo ao lado da última sacerdotisa dos Yata para repelir esse mal por mais mil anos. Chizuru lembra Iori que ele não é obrigado a seguir o mesmo caminho de seu pai e seus antepassados, que ele poderia fazer a diferença e viver uma vida própria e que lhe fosse mais benéfica do que arrastar-se por esse caminho de ódio e sangue. Naquele ano, ele não deu ouvidos a ela mas percebeu que ela tinha um carinho muito grande por ele. Enquanto a Kyo, ela tentou fazê-lo entender que a arrogância dos Kusanagis poderia leva-lo a sua ruina e que seria melhor ele aprender a valorizar melhor seus laços. Vencer dois torneios não significava nada se ele não aprendesse o valor de um verdadeiro guerreiro.

ㅤㅤDe volta a realidade, Iori ouvia atentamente ela dizendo que não tinha porque sair da frente dele ou dos ataques dele porque era óbvio que ele se conteria. Além de dizer algo meio contraditório ali entre os dois.

ㅤㅤ─ E não adianta dizer que é por que tínhamos que aprisionar Orochi.

ㅤㅤ─ Mas... Foi você quem começou com essa história de aprisionar Orochi. Antes eu não dava a mínima para aquela lagartixa de oito cabeças... Até minha primeira fúria de sangue me atacar.


ㅤㅤSOUND BEACH – 2025


ㅤㅤIori havia terminado de tomar o sorvete dele e logo arremessou a casquinha em um cesto de lixo que havia alguns metros ao seu lado, acertando-o de primeira. A menina  ainda tomava o dela, mas parecia mais interessada na história que a mãe e o pai contavam do que no doce em si. Quando Iori ouviu Chizuru dizer que não compartilha do mesmo ódio de Iori por uma certa pessoa e que ele se tornaria um velho chato por causa disso, ele resolveu se intrometer e defender sua posição.

ㅤㅤ─ Pera aí, parou tudo! Meu ódio pelo Kusanagi é por motivos únicos. Você é quem nunca entendeu isso. E ainda odeio esse verme maldito. Se você quiser ser uma Yagami influente no mundo, Shizune, deve aprender a não gostar dos Kusanagis como um todo.

ㅤㅤ─ Mas porque você odeia os Kusanagis, papai?

ㅤㅤ─ Só o fato deles terem contribuído para a morte de todos nossos familiares não é suficiente para você, meu bem?

ㅤㅤChizuru fuzila Iori com o olhar naquele instante. Ele faz um sinal com a mão dizendo que vai parar de falar e deixou ela continuar a história dela, onde os dois no passado posicionaram-se frente um a outro na praia para começarem o combate.


ㅤㅤSOUND BEACH – 2016


ㅤㅤ─ Hahaha! Julgar? Minha regra é clara, meu amor. Se entrarem no meu caminho e atrasarem meus objetivos, a melhor punição é a morte. Principalmente se esse verme vier a nos causar problemas ainda maiores. Lembra daquele verdinho francês? ─ Iori passa a mão sobre os cabelos, por um breve momento, deixando seu olho direito visível para a amada. ─ Ou se mata o inimigo e corte o mal logo pela raiz, sem ter que viver com as consequências... ou vivemos as consequências.

ㅤㅤChizuru posicionou-se frente a Iori, aderindo a postura de dança que ela usava junto de seu estilo marcial, que aplica o domínio absoluto do espelho de Yata. Aquele espelho era algo que Iori tinha de levar a sério, senão, ele teria graves problemas nas lutas.

ㅤㅤO motivo é que Chizuru podia fazer muitas coisas com o domínio desse artefato místico. Além dele ter poderes de poder entrar na parte mais profunda do seu subconsciente, podia também teleportar-se, entrar na sua mente, conversar telepaticamente, repelir projéteis, selar poderes, manipular energias, refletir sua própria ilusão, recriar imagens falsas de outras pessoas... Ou seja... Aquela mulher não era brincadeira não. E quem subestimava as capacidades dela (diga-se de passagem, os próprios roteiristas e leigos) eram um bando de imbecis.

ㅤㅤEla tinha tudo o que precisava para ser uma oponente digna para o Yagami e seria bom que ela não pegasse leve com o ruivo. Pois este estava pronto para mostrar tudo o que ele tinha.

ㅤㅤ─ Vamos lá, Chizuru! Mostre-me toda as forças que adquiriu nesses vinte anos! Prometo fazer o mesmo.

ㅤㅤEstava tudo pronto. Era a vez dele começar.


ㅤㅤSOUND BEACH – 2025


ㅤㅤShizune interrompeu.

ㅤㅤ─ Papai, você foi o primeiro a atacar? Por que não deixou a mamãe?

ㅤㅤ─ Porque eu estava no lado esquerdo do cenário. No vídeo game, isso quer dizer que sou o jogador um. O dono do melhor controle e do jogo. Então eu sou o primeiro a atacar.

ㅤㅤChizuru, por outro lado, revirou os olhos com a explicação besta dele. Iori continuou.

ㅤㅤ─ Como eu disse... Sua mãe é uma adversária e tanto. Para chegar perto dela, precisei tomar umas boas porradas e por mais que ela não aparente ser muito forte, ela dá umas palmadas violentas. Os chutes então, nem se fala.

ㅤㅤA menina deu risada.

ㅤㅤ─ Como você atacou ela, papai?

ㅤㅤ─ Boa pergunta. Naquele tempo eu não sabia muito bem o que fazer pra atacar ela. Eu sempre tenho essa mania de querer que meus golpes sejam 100% um sucesso, mas há uma coisa que me incomodava muito nessa luta.

ㅤㅤEla fez uma expressão de dúvida. Chizuru só ficou olhando, e sorrindo.

ㅤㅤ─ O que era, papai?

ㅤㅤ─ Eu amo ela. E não queria bater nela. Esse foi o meu problema. – Ele manteve o olhar fixo no de Chizuru. Ele não cansava de dizer isso enquanto encarava-a nos olhos.

ㅤㅤ─ Então... Você não queria pegar pesado com a mamãe, papai? ─ Ela perguntou com certo entusiasmo, mostrando-se bem empolgada com as revelações do pai.

ㅤㅤ─ Eu nunca volto atrás com minha palavra, Shizune. Mas acontece que... Ela era uma lutadora de verdade. Além de ser minha...


ㅤㅤSOUND BEACH – 2016

ㅤㅤROUND 1 – MOVE 1


ㅤㅤIori Narrador: E aqui vamos. Eu me lembro de estar frente a frente com ela já havia assumido minha postura de combate baseada no Hung Gar Kuen, usando o treinamento perfeito de meu corpo com o Da Sam Sing (A explosão de Três Estrelas) e o Sei Ping Ma (A postura do Cavalo). Meus movimentos eram em sua maioria técnicas coreografadas aprendidas com o Taolu, além de ter o domínio perfeito da minha manipulação de Chi pelo Qigong e Neigong, o que me fez não precisar das garras Fu Jia (Ou garras do Tigre). Isso tudo quer dizer o seguinte... Eu dominava por completo o boxe da família Hung, um estilo marcial chinês que abrange várias subdivisões, além dos cinco elementos e dos cinco animais. Um mestre desse estilo precisa estar por dentro de como trabalhar seus movimentos controlando todas essas hierarquias. Além do Hung Gar, que é um estilo único e bem agressivo, eu tenho domínio de outras artes marciais, tal como o Street Fighting, karate, kobujutsu, Muay Thai e alguns estilos do Wu Shu do Norte.

ㅤㅤShuzine (Futuro): - Quantos animais tem no Hung Gar?

ㅤㅤIori Narrador: Como eu disse, são cinco. O Tigre, o Leopardo, Dragão, Garça e Serpente.

ㅤㅤShizune (Futuro): - Qual você usou para atacar a mamãe?

ㅤㅤIori Narrador: Ah... Foi o Leopardo primeiro. Agora presta atenção na história!

ㅤㅤO primeiro movimento de Iori baseava-se nos ataques do Leopardo e sua técnica principal do Leopardo é o punho veloz e penetrante, semelhante a uma machadada. O golpe tem como função mirar regiões vitais ou sensíveis no corpo humano e sua velocidade pode ser notada pelo trabalho impressionante no condicionamento de braços e pernas do ruivo. Esse golpe é visto com mais frequência na sua técnica mortal, o massacre das donzelas, mas Iori usaria o estilo do Leopardo em outro ataque. Ele se basearia em um dos seus movimentos que não requer uso de chamas.

ㅤㅤ119 Shiki: Akegarasu – Akegarasu se trata de uma técnica de avanço que foi muito utilizado por Iori nos anos de 2009 a 2011, quando ele perdeu seus poderes para um indivíduo chamado Ash Crimson e obrigado a retomar o treinamento das artes marciais ancestrais dos Yagami. O movimento é rápido e trata de fazer com que Iori desloque-se de um ponto A para um ponto B sob extrema velocidade como estivesse preparando para derrubar sua presa e destroça-la. Com sua mão esquerda, ele energizaria suas mãos usando o treinamento do Chi Kung aperfeiçoado durante todos esses anos para potencializar suas garras de tigre/leopardo. Ele desfere um corte vindo da direita para a esquerda, criando três linhas de energia brilhantes sob o ar que mutilaria qualquer coisa que entrasse e contato com ela. O movimento possui um único acerto em sua versão comum e permite que Iori ganhe mais proximidade com o adversário.

ㅤㅤDepois disso, ele utilizaria um dos seus Combination Arts, aproveitando a proximidade ganha com o sucesso ou fracasso do golpe. O Combination Art 22 dele consistia em três pancadas em movimento, sendo o primeiro um golpe overhead com o punho fechado do braço esquerdo vindo do alto para baixo, simulando uma marretada violenta que se atingido, abriria a guarda de Chizuru permitindo que Iori continuasse com um ‘jogo de corpo’ ou como diz os molequinhos do fliperama, a tal da ‘Ombrada Marvada’ para desestabilizar a postura ofensiva e defensiva dela, empurrando-a dois a três passos para trás de sua posição inicial e por fim, girando sobre seu eixo em cento e oitenta graus para volta a golpeá-la com as costas da mão pela horizontal, com força suficiente para atirá-la para longe dele.

ㅤㅤIori finalizava sua ação onde ambas as mãos deste ficasse tomada pelo poder de suas chamas. Seria uma longa batalha e ele sabia que ela não o perdoaria se o ruivo se conter-se. A combinação do 119 Shiki: Akegarasu e a Combination Art 22 de Iori eram apenas uma demonstração inicial do que ele podia fazer. As chamas, bem, elas viriam depois.


ㅤㅤFIM DO ROUND

ㅤㅤSOUND BEACH – 2025


ㅤㅤA menina ficou espantada com os detalhes apresentados por Iori no ataque inicial dele contra sua mãe. Depois ela olhou pra mãe que parecia tão bem e saudável. Na cabecinha dela se passava a seguinte pergunta: Se o papai não queria bater nela, porque ele começou o round com um movimento que, pela descrição dele era muito violento? E a resposta para isso era bem simples. Aquilo nem chegava a ser dois por cento da maldade que Iori poderia causar em uma luta.

ㅤㅤ─ Essa foi minha investida inicial contra sua mãe, Shizune. Essa combinação é rápida e letal, podendo muito bem abrir a guarda do oponente e ainda mandá-lo contra uma parede, caso haja alguma por perto. Mas como não tinha isso na praia, eu só faria sua mãe se sujar um pouquinho com a areia. Haha

ㅤㅤ─ Hum... Mas a mamãe levou o golpe?

ㅤㅤ─ Bom... Porque ela não conta o que aconteceu depois disso?

ㅤㅤIori e Shizune voltaram a olhar pra Chizuru e o ruivo piscava para ela da mesma forma, como se dizesse mentalmente a ela: “Segura que a bola é tua, mulher”.







avatar
Đεstroчεr ⌠ 八神 庵 ⌡
Administrador
Administrador

Aniversário : 25/03/1975
Lugar de Origem : Tóquio, Japão
Mensagens : 173
Data de inscrição : 11/08/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Round 1 Move 2

Mensagem  ♔ChizuruYata ✡ вσssкαgυrα em Qui Nov 30, 2017 3:05 pm



StoryMode:Round 1 Move 2


Southtown, Sound Beach: 2025.




ㅤㅤㅤToda conversa que havia feito com Iori antes mesmo da criança ter sido imaginada ou concebida ele ignorava facilmente. Novamente aquele papo sobre ódio de ancestrais que ele quer passar para cada filho, o que são muitos. Desvio meus olhos do rosto dele e olho um pouco ao redor.



ㅤㅤㅤO movimento já estava maior, apesar de muitos estarem em seus trabalhos outros vinham em direção à praia para um dia relaxante. E foi isso que havia imaginado ao sair do quarto, um dia relaxando com Shizune na praia.



ㅤㅤㅤLevo as mãos aos cabelos da menina que estava mais lambuzada de sorvete que realmente apreciando ele, já que seus olhos estavam fixos no rosto do pai que descrevia seu movimento da luta. Vou trançando os fios para mantê-los longes do rosto da menina, quando torno a prestar atenção à conversa, Iori já estava comentando sobre eu falar que aconteceria naquele momento.



ㅤㅤㅤ— Claro que falo, mas vamos para a areia e lá eu explico com desenho para você entender o que a mamãe fez. As movimentações das artes antigas que a mamãe domina e vai te ensinar, tem que ser explicada com calma.



ㅤㅤㅤFalo e me levanto no mesmo momento. Estendo a mão para pegar a dela e começo a caminhar pela areia em um lugar mais perto do mar. Já sabia que alguma reclamação viria por parte de Iori, mas a criança precisava conhecer as coisas e decidir por ela mesma se é ruim ou bom um dia de praia, coisa que ele sempre queria impor com seus resmungos, sobre o gosto dele ser diferente das pessoas que viam como algo bom irem à praia.



ㅤㅤㅤ— Mamãe conta o que você fez! – ela insistia.



ㅤㅤㅤ— Vou falar calma. Toma seu sorvete que já derreteu quase tudo.



ㅤㅤㅤCom aproximação de Iori, pego a bolsa com as coisas e ajeito tudo para a menina poder ficar sentada e brincando na areia. Quando começo a passar o protetor solar nela volto à história.


Southtown, Sound Beach: 2016.




ㅤㅤㅤMeus olhos estavam fixos nos movimentos de Iori, sabia que ele arrumaria um jeito de se movimentar de forma contida. E sabia que ele só resolveria levar a serio o combate ficando irritado. Suspiro e me movimento com rapidez na primeira investida dele. Minha tentativa e intenção não é esquivar do golpe e ir para longe, mas aproveitar o momento de aproximação e esquiva para fazer uma tentativa de contra ataque.



ㅤㅤㅤEu uso o movimento Kai ten, o que significa que eu faço um desvio no momento que ele joga sua mão para me atingir e abaixo e ao mesmo tem que já estou levantando. Mas meu corpo não fica no mesmo lugar, ele se enlaçaria ao de Iori o que faria com que minha movimentação o jogasse para o chão. E caso o mesmo não conseguisse defender esse meu movimento eu não ficaria parada e assim dando continuidade ao meu ataque.



ㅤㅤㅤTentaria no momento que ele ainda estivesse no chão, utilizar de um deslizar rasteiro com chute, que faria o corpo dele sair do chão para cima por breves momentos, onde eu utilizaria meu Jokatsu: SouSou (Zheng Zheng), que é um rápido movimento de braço, que atingindo seu alvo o arremessaria com força para o solo novamente.






Southtown, Sound Beach: 2025.




ㅤㅤㅤNa areia ao lado da menina tinha os rabiscos feitos para tentar ilustrar a movimentação que fora realizada, mas foi à explicação de como eles foram executados que a fez ficar olhando para mim com os olhos impressionados e arregalados com um brilho nítido que era a melhor das histórias que os dois estavam contando para ela.



ㅤㅤㅤ— E foi assim que você bateu no papai então? – ela fala desviando os olhos procurando por Iori.



ㅤㅤㅤ— Hahaha, não sei. O que você acha, o papai apanhou? – falo olhando para o lado da aonde vinha à sombra dele sobre nós.





avatar
♔ChizuruYata ✡ вσssкαgυrα
Visitante
Visitante

Aniversário : 26/06/1974
Lugar de Origem : Tóquio, Japão.
Mensagens : 34
Data de inscrição : 13/08/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

ROUND 2 MOVE 1

Mensagem  Đεstroчεr ⌠ 八神 庵 ⌡ em Qui Nov 30, 2017 3:28 pm



STORY MODE - ROUND 2 - MOVE 1
八神 庵 vs 神楽 ちづる
008 - "The Indigo Inferno of Misanthropy"



ㅤㅤSofrer danos era uma coisa que todo lutador deveria esperar em um combate, seja ele amistoso ou de vida e morte. Iori, que já tinha vivido maior parte de sua vida dedicando-se as artes marciais já tinha sofrido de tudo quanto é jeito nos combates, desde a alma ser arrancada do corpo e quase esmagada pelas mãos de um Deus Serpente quanto ter todos os tipos de venenos letais do mundo injetados no corpo. Ele sobreviveu ambas. Como era possível? Ele não sabia. Talvez fosse a sorte. Mas se havia algo que incomodava era quando sua cara era alvo de golpes potencialmente dolorosos, principalmente se um desses ataques acabar lhe atingindo os olhos. E ele sempre se perguntava: PORQUE O MALDITO OLHO? A história progride...


ㅤㅤSOUND BEACH – 2025


ㅤㅤ─ Ei! Vocês duas! Aonde pensam que vão?

ㅤㅤDizia Iori enquanto observava Chizuru carregar a menina para dentro da praia, o fazendo levantar do banco. Naquele dia ele não estava trajando roupas adequadas para entrar em areia. Ele trajava uma camisa polo casual com mangas curtas e gola “V”, de cor lilás escuro manufaturada com tecido italiano poliéster e com 2% de elastano. Além da gargantilha preta apertada na altura do pescoço, Iori estava sendo visto pela primeira vez nas ruas com óculos de leitura com armação preta. O restante do seu vestuário tratava-se de calças jeans escuras com combinando com um sapato também escuro e de couro bovino, que concluindo, não se adequava em nada para uma passeada na praia. Principalmente porque ele não queria que areia entrasse em seus sapatos. Mas fazer o que? A mulher já tinha descido com a criança para lá e por incrível que pareça, ele não fazia ideia que elas estavam vestidas para entrar na praia. Torcia para que não quisessem entrar na água também.


(imagem meramente ilustrativa das roupas de Iori)


ㅤㅤ─ Fala sério, Chizuru! Eu pensei que seria uma passada na praia e não entrar na praia!

ㅤㅤE lá foi ele seguindo as duas e resmungando atrás. Ele não perderia o tempo dele sentando na areia e nem nada do tipo. Ficaria naquela sua antiga postura séria, com cara de poucos amigos e mãos ocultas no bolso das calças. Sua irritação acabou chamando atenção dos banhistas que estavam por perto, mas ele ignorou todos pelo bem deles. Enquanto isso, Chizuru começava a passar protetor solar na pele alva da menina e contar detalhadamente como foi a defesa dela contra a investida inicial de seu pai. Desenhou de forma simples e bem objetiva toda a execução marcial de Chizuru que tinha maior foco nos movimentos de danças antigas que ela praticava desde os anos que era uma aprendiz de Shrine Maiden. Quieto e observando a curiosidade da filha, foi a vez dele dizer o que aconteceu em seguida.

ㅤㅤ─ Odeio ter de assumir isso, mas ela teve sucesso nas investidas. Em uma luta, as possibilidades do ataque inicial darem certo são de cinquenta por cento. Eu fui surpreendido pela forma como ela me embalou naquele movimento e me atirou no chão... E foi a primeira vez que protestei contra a dor...

ㅤㅤ─ Doeu tanto assim, pai?

ㅤㅤ─ Sim. Doeu pra...


ㅤㅤSOUND BEACH – 2016


ㅤㅤ─ O-O que?

ㅤㅤDurante o avanço da técnica 119 Shiki: Akegarasu, Chizuru respondeu a investida com um movimento chamado Kai-Tem que embalou o corpo do Yagami segundos antes dele desferir o movimento cortante com suas mãos, levando-o ao chão. Acontece que Iori acabou indo de cabeça no chão, quase que beijando a lona. Aprendam crianças: Mesmo você sendo um lutador acima dos lutadores normais, cair de cabeça pode ser fatal. É normal. Não se envergonhem de tomarem danos violentos e narrarem eles da forma adequada! A dor foi insuportável e por um momento, Iori achou que teria quebrado um dente. Mal teve tempo ele de raciocinar o que estava acontecendo e Chizuru ataca novamente. Essa era a mulher que ele amava.

ㅤㅤ─ AAAAAAAAAAAAAAAH! DESGRAÇADA! MEU OLHO! POR QUE A DESGRAÇA DO OLHO?

ㅤㅤDurante sua recuperação, Chizuru deu um golpe rasteiro com sua perna e acabou por atingir a cara do Yagami e principalmente no olho que ele vivia ocultando com sua longa franja. A dor da pancada o fez levar a mão na região afetada, massageando-a para diminuir a dor enquanto o outro olho lacrimejava um pouco. Mas quem disse que ela parou por aí? Então veio outra pancada de cima para baixo. Um overhead! Ele não deixaria isso barato.

ㅤㅤ─ DE NOVO NÃO!

ㅤㅤDisse ele ao usar o braço destro pra bloquear o ataque vindouro da mulher, sentindo a dor da pancada todo no braço.

ㅤㅤ─ Agora é sua vez! TOMA ESSA!

ㅤㅤA mão que ele usava para coçar o olho apoiou-se no chão enquanto ele lançou ambas as pernas para dar uma rasteira pesada contra as pernas de Chizuru. Essa rasteira dupla do Iori, comumente conhecida por ser uma técnica das brigas de ruas faria que a sacerdotisa caísse no chão da mesma forma que Iori, caso ela fosse atingida, obviamente.


ㅤㅤSOUND BEACH – 2025


ㅤㅤ─ Mas papai... – Interrompeu a menina.

ㅤㅤ─ Eu não disse para me interromper somente quando fosse conveniente? ─ Respondeu o maior, arqueando uma das sobrancelhas.

ㅤㅤ─ Desculpa... Mas... Assim a mamãe não cairia em cima de você? ─ A pergunta dela fazia um pouco de sentido até, porém ela ficou sem a resposta.

ㅤㅤ─ Primeiro eu vou contar tudo o que fiz. Agora só me interrompa de novo se for necessário.


ㅤㅤSOUND BEACH – 2016


ㅤㅤIori rolou para longe dela, erguendo-se imediatamente. Fora de postura, novamente passou a mão sob o rosto, nas regiões afetadas pela queda e pelo chute.

ㅤㅤ─ Droga. Isso vai ficar roxo... Agora você me paga, Chizuru!

ㅤㅤNo início ele não desejava pegar pesado, mas isso mudou. Ao elevar seu poder a um determinado nível, as auras púrpuras das chamas do Destino cobriam todo o corpo de Iori, fazendo com que a área ao seu redor tremesse devido a concentração grandiosa de poder. Pequenas faíscas elétricas surgiam em torno do corpo e da aura de Iori e de certa forma, seus músculos expandiam um pouco tornando seu corpo ainda maior. O motivo disso tudo? Ele apelaria contra ela se era isso que ela queria.

ㅤㅤFechando o punho destro, ele golpeou o piso. Desse murro, a energia concentrada em seu corpo espalhou suas chamas por toda a área utilizada por eles para se enfrentarem. Sabendo que Chizuru era uma adversária que podia criar ilusões e até mesmo trocar de lugar com elas onde quer que elas fossem materializadas, incendiar todo o chão seria uma forma de não manter ela no chão ou abalar qualquer estrutura defensiva dela. Ou seja... Iori era o único que podia andar entre o piso em chamas sem ser afetado por elas. Mas isso não quer dizer que Chizuru ficaria à mercê desse movimento.

ㅤㅤIori disparou em mais uma corrida. Ele não era o tipo de lutador que ficava esperando algum avanço do inimigo. Quando ele queria ir para a porrada ele ia para a porrada. Independente se vai apanhar mais ou menos. Uma coisa que lhe foi ensinada quando pequeno era suportar a dor de todas as formas possíveis e talvez seja por isso que ele tenha se tornado um berserker em algumas de suas lutas, recebendo ataques que derrubariam outros, sofrendo todo o impacto do ataque sem ter o corpo abalado em sua estrutura ofensiva. A velocidade que ele atingia em seus passos era surpreendente, não só pelo comprimento das pernas como também pela sua ginastica corporal perfeita. A todo vapor, parecia que ele atropelaria a Chizuru. Ele fechava o punho dando indicio de que viria com um murro potente contra a cara dela, até posicionando o braço numa altura considerável para desferir a pancada, mas...

ㅤㅤEle ‘freou’. Cessou a corrida deslizando os sapatos pelo piso ao mesmo tempo que flexionava os joelhos e o corpo para agachar rapidamente e ficar em frente de Chizuru para um golpe antiaéreo (isso levando em consideração que ela tenha permanecido no chão, ou tenha se esquivado, ou tenha saltado, ou tenha se defendido – a narrativa prossegue). O murro que ele havia ‘fingido’ desferir mudaria imediatamente para um golpe de arranhão potencializado: O 104 Shiki: Nue-Uchi. Atirando o braço para o alto com as mãos simulando o Fu Jia (As Garras do Tigre) a energia de Iori cria três lâminas cortantes no ar que alcança uma altura considerável e mutila o oponente diversas vezes seguidas, caso atingido pelo ataque.

ㅤㅤ─ Hoooooaaah!

ㅤㅤAproveitando o embalo dessa técnica, Iori emendaria com outra técnica de corte potencializado, o 401 Shiki: Shougetsu, realizando um giro sobre seu próprio eixo com o Ashi Sabaki, trazendo consigo mais um golpe cortante com suas garras de energia em um movimento de meia lua, criando mais três linhas de corte que devastariam qualquer pessoa que entrassem em contato com elas. Vale lembrar que todos esse arranhões do Iori são deliciosamente poderosos por fazerem jorrar sangue para todos os lados como uma verdadeira carnificina. E ele gostava muito disso!

ㅤㅤ─ IKUZEEEE!

ㅤㅤSe as duas causassem o efeito desejado, as chamas do solo dissipariam num piscar de olhos, pois elas seriam absorvidas novamente pelo Yagami. Contudo, finalizaria sua investida com outra técnica de avanço e um pouco mais brutal visivelmente. A 212 Shiki: Koto Tsuki-In, aproveitando da aproximação dela para golpeá-la com uma cotovelada na barriga ao mesmo tempo que mantém o antebraço do mesmo braço apoiado sobre o corpo dela para que a outra mão livre agarrasse a cabeça de Chizuru e forçasse o corpo todo dela a ir de cara contra o chão, não só a derrubando como também explodindo suas chamas contra a face dela e incendiando-a por inteiro. Claro que isso não mataria ela, mas se tudo acertasse a mesma, ela ficaria num estado nada agradável para continuar a luta.

ㅤㅤ─ QUEIMAAAAA!


ㅤㅤSOUND BEACH – 2025


ㅤㅤShizune ficou com os olhos arregalados com os detalhes contados pelo pai, principalmente quando ele dizia que os dois primeiros ataques poderiam mutilar a mãe dela, arrancar muito sangue e deixa-la num estado deplorável. Então ela voltou a olhar para a sua mãe, como se procurasse alguma marca dessas feridas no corpo dela, só então, percebendo que ela estava bem.

ㅤㅤA forma como Iori contava as histórias, todo empolgado na violência de seus movimentos chegava a assustar um pouco a criança, algo que Chizuru certamente reprovaria, mas ele não estava nem aí. Afinal, que história é boa sem um pouco de ação, violência e sangue? É claro que tem aqueles que preferem um pouco de sexo e putaria em suas histórias por acharem violência um pouco exagerada nas ações e no modo de viver do Yagami, mas cada um é cada um nesse mundo de condenados.

ㅤㅤ─ E foi isso. Essa foi a minha resposta a um olho roxo que dei a sua mãe. E não se preocupe. Tudo o que fiz foi por amor. Hehehe.

ㅤㅤ─ Você é muito malvado, papai.

ㅤㅤ─ Eu? Malvado? Quando você crescer e virar uma adolescente birrenta e sua mãe lhe tacar um desses sapatos em você, entenderá o que eu senti ao tomar a bica nos olhos. Nunca brinque com esses sapatos que ela usa. Eles doem pra ... Tsc... Você entendeu.

ㅤㅤA garota deu risada, voltando a olhar para a mãe e esperando que ela continuasse a história depois dessa exibição de violência gratuita contada pelo pai. Será que ela caiu em alguns desses ataques de cortes potencializados pelo Chi Kung de Iori? Será que foi derrubada pelo 212 Shiki: Koto Tsuki-in e recebido o calor corrosivo das chamas herdadas pelo pacto de sangue com Orochi? Só Chizuru Yata para responder as dúvidas da menina e prosseguir com a história que selou por completo o destino desse casal Yin&Yang.







avatar
Đεstroчεr ⌠ 八神 庵 ⌡
Administrador
Administrador

Aniversário : 25/03/1975
Lugar de Origem : Tóquio, Japão
Mensagens : 173
Data de inscrição : 11/08/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Round 2 Move 2

Mensagem  ♔ChizuruYata ✡ вσssкαgυrα em Qui Nov 30, 2017 3:38 pm



StoryMode:Round 2 Move 2


Southtown, Sound Beach: 2025.



ㅤㅤㅤComo já estou ciente dos fatos acontecidos na luta, quando Iori está com a atenção da menina voltada para si. Ergo-me e caminho até a praia, encho dois pequenos baldes de brinquedo com água e trago para onde os dois estão. Coloco-os apoiados na areia e ajeito a pequena piscina para ela brincar. Jogo a água e volto para buscar mais.
ㅤㅤㅤOs quatro baldes de água foram suficientes para deixar um nível bom para a menina poder brincar. Pego uma toalha e estendo ao lado dela. Tiro os sapatos e também a roupa que estava usando, ficando somente com um maiô que havia colocado no hotel e sento dobrando as pernas para ficar perto da menina.
ㅤㅤㅤ— Pode colocar o guarda-sol para fazer sombra, por favor. – falo olhando para Iori e pego Shizune pela mão para ajudar ela entrar na água.
ㅤㅤㅤ— Aqui você fica mais fresca, trouxe seus brinquedos também. E entenda uma coisa, você pode lutar com graça e calma. Isso desestabiliza e muito seu adversário. – falo e toco o nariz dela sorrindo.
ㅤㅤㅤ— Conta mamãe. Papai acertou você? Como você ainda está viva, não são golpes para cortar e matar? – ela pergunta com olhos grandes de curiosidade.
ㅤㅤㅤ— Não sente, vou colocar você nas posições de luta que usei. – falo estendendo as mãos para ela.
ㅤㅤㅤShizune fica toda animada e olha com os olhos grandes e sorrindo. Sorrio e começo a discorrer sobre o que aconteceu.

Southtown, Sound Beach: 2016.



ㅤㅤㅤApós minha movimentação ainda estou atenta aos movimentos dele. Mesmo que sou bem sucedida com minhas investidas, conheço a resistência e teimosia dele. Quando noto o movimento para mudar de postura dou um salto para trás, por pouco ele não acerta minhas pernas com os pés dele. Vejo-o girar afastando-se. A concentração de energia dele me faz erguer as sobrancelhas. “Já?!” penso surpresa.
ㅤㅤㅤFecho meus olhos e me coloco na mesma posição que iniciei o combate, breves segundos passam, ao abrir os olhos novamente, Iori está movendo-se com o punho em direção ao solo.
ㅤㅤㅤ— O que?! – murmuro ao mesmo tempo em que vejo o aproximar das chamas.
ㅤㅤㅤAquela ação foi bastante inesperada, meu pensamento estava em outras técnicas que ele poderia usar com as chamas, a dispersão pelo chão me pega desprevenida. Fica bastante claro que não tem um lugar para onde fugir. Mas meu conhecimento sobre Ki é suficiente para evitar um dano mais grave provocado por elas. O que trás harmonia das energias em meus órgãos, de modo que protege o corpo de ataques externos, como o calor das chamas, e também de fatores internos, como as emoções negativas e até mesmo a equilibrar o dreno de energia vital provocado. O dano acontece, mas de uma forma mais branda.    
ㅤㅤㅤEsse controle de Ki ocorre no mesmo fluxo em que respiro, tenho uma concentração suficiente, anos de pratica e meditação. Iori aproxima-se com sua corrida e para, um antiaéreo totalmente fora de nexo, para me acertar, já que estou parada ainda no chão a sua frente e com esse deslize dele, estou bem próxima também.
ㅤㅤㅤNesse momento eu tento ataca-lo, girando meu corpo, erguendo as mãos unindo-as sobre minha cabeça no mesmo instante que minha perna direita se flexiona e estica em direção à barriga dele, na possibilidade de acerta-lo na barriga. Caso ocorresse o faria recuar e/ou desequilibrar. Já que o mesmo está com a guarda levantada para o deferimento do golpe antiaéreo.
ㅤㅤㅤContinuando minha movimentação com o sucesso ou não da primeira investida, eu irei saltar e no momento que giro meu corpo no ar, minha perna direita estará esticada na tentativa de acertar um chute contra a lateral do rosto de Iori na tentativa desnorteá-lo e afasta-lo um pouco mais.
ㅤㅤㅤAssim ao pousar no chão ainda em frente a ele, acertando ou não o golpe anterior, investiria golpes com as mãos girando meu corpo, na intenção de acerta-lo entre os olhos e sobre o nariz.
ㅤㅤㅤIntensão ao acertar alguns dos golpes é deixa-lo desnorteado para que possa tira a concentração de seu Ki sobre as chamas e elas sumam. Dando assim um modo de eu poder recuperar um pouco da minha energia. Executar cada movimento em meio às chamas do destino é extenuante, após minha ultima tentativa de investida, salto para trás sobre um dos tocos de madeira que tem no cais.

Southtown, Sound Beach: 2025.



ㅤㅤㅤComeço a rir quando Shizune começa a rodopiar dentro da piscina, jogando a água para todo lado ao imitar o ultimo golpe que descrevo ter usado.
ㅤㅤㅤ— Que demais mamãe! HAHAHAHA... Yuuupiii... eeeeeee!! – ela grita girando de um lado para o outro dentro da pequena área.
ㅤㅤㅤContinuo rindo e busco Iori com os olhos tentando entender o porquê ele demora tanto para conseguir colocar um guarda-sol aberto.

avatar
♔ChizuruYata ✡ вσssкαgυrα
Visitante
Visitante

Aniversário : 26/06/1974
Lugar de Origem : Tóquio, Japão.
Mensagens : 34
Data de inscrição : 13/08/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

ROUND 3 MOVE 1

Mensagem  Đεstroчεr ⌠ 八神 庵 ⌡ em Qui Nov 30, 2017 3:51 pm



STORY MODE - ROUND 3 - MOVE 1
八神 庵 vs 神楽 ちづる
008 - "The Indigo Inferno of Misanthropy"


ㅤㅤSOUND BEACH – 2025


ㅤㅤApós terminar de passar toda sua versão do segundo ataque, Iori percebeu que Chizuru acabou montado um mini playground para a criança, com uma piscina de pequeno porte cheia de água e seus brinquedos. Aquele era um tipo de coisa que Iori dificilmente faria para filho algum, até porque ele não teve uma boa infância dado o histórico de sua família no passado. Chizuru entrou no clima da praia, removeu suas roupas mostrando estar vestindo um maiô por baixo esse tempo todo. Em seguida, Iori ficou encarregado de buscar um guarda sol para as duas enquanto ela começava a contar e fazer a menina a copiar seus movimentos. Era notável pelo olhar da menina que ela estava muito interessada em saber como a mãe se safou dos ataques violentos do pai e como ele já sabia o que tinha acontecido, acabou deixando as duas para ir buscar o que foi pedido.

ㅤㅤProcurar por um guarda sol não foi o problema. Haviam vários por ali disponíveis, mas como não se sentia confortável usando aquelas roupas descritas anteriormente dentro de uma praia, Iori foi um pouco mais além. Nunca fez o seu estilo relaxar numa praia e curtir o sol, o clima, o ambiente. E como já estava velho mesmo, que diferença faria quebrar um pouco esse tabu que ele e o mundo todo construiu sobre ele sendo um pouco normal? Talvez soasse estranho esse tipo de pensamento, mas quem não fosse se dar bem com a ideia, ele tinha um jeito bem simples e prático de se resolver isso: Um soco bem dado na cara! O ruivo saiu da praia e aproveitou as lojas de roupa que teriam do outro lado da rua frente a praia. Ele entrou em uma dessas lojas e saiu de lá com roupas apropriadas para ficar no local.




ㅤㅤ─ Ótimo. Acho que isso vai resolver. ─ De camisa havaiana florida e aberta em seu meio, expondo o peitoral malhado e sarado do ruivo, com um bermudão, chinelos e óculos de sol, Iori Yagami saia da loja carregando uma sacola onde havia depositado suas outras roupas, para mantê-las guardadas até o momento que forem embora.

ㅤㅤDentro de Sound Beach novamente, ele avistou ao longe Chizuru e Shizune brincando, com a menina girando de um lado para o outro nas piscina, jogando água para todos os lados. Ao que tudo indicava, ela estava tentando imitar aqueles movimentos coreografados da Chizuru nas artes marciais. A risada animada e contagiante da menina relaxava o ruivo, pois de certo modo, ele estava contente de saber que sua pequena estava se divertindo. Ele pegou o guarda sol e dirigiu-se até as duas, atraindo a atenção delas pela novidade das roupas que vestia.

ㅤㅤ─ Estou devo volta, princesas. ─ Disse o ruivo ao ajeitar o guarda sol e criando a sombra que Chizuru tanto queria.

ㅤㅤ─ Que roupas são essas, papai? Você tá engraçado assim. ─ A menina riu das roupas de Iori.

ㅤㅤ─ Eu só acho que ... também mereço curtir um pouco esse clima de praia. Mesmo eu... nunca tendo feito isso em vida. Mas não importa... Aposto que já terminou de contar o que aconteceu.

ㅤㅤ─ Sim papai! A mamãe é demais! ─ A garota ficou sentada na água olhando pro pai. Seus olhinhos azuis ficaram fixos na figura paterna, esperando por ele contar o que houve depois de todas as investidas de Chizuru.

ㅤㅤ─ Pude notar que estou em desvantagem aqui. Você conquistou a torcida da menina, Chizuru. Sempre um passo a frente de mim, não é mesmo? ─ Disse Iori, encarando sua esposa enquanto sentava-se na areia e ao lado da piscina. Ele continuou.

ㅤㅤ─ Lembra quando sua mãe me proibiu de soltar fogo dentro de casa? Acontece que ela não gosta que minha energia flua dentro do templo, por ser um lugar sagrado. Mas sabe qual é o verdadeiro segredo do fogo do papai?

ㅤㅤ─ O fogo é rosa! ─ Empolgada, Shizune disparou.

ㅤㅤ─ Não! É púrpuro. ─ Inconformado, Iori rebateu. Embora tenha sido um comentário inocente, ele meio que se sentiu insultado. Afinal, ele não gosta da cor rosa.

ㅤㅤ─ O que é púrpuro? ─ E como esperado de toda criança, púrpuro é uma palavra diferente e que ela nunca tinha ouvido. Normal não ter noção do que se trata.

ㅤㅤ─ É... Roxo. Dependendo de alguns pontos de vista, é azul. ─ (Em alguns jogos, como o KOF Maximum Impact, haviam momentos que as chamas do Iori brilhavam em tons rosados. Já em outras fontes oficiais da SNK, as chamas de Iori são verdadeiramente azuis, mas são representadas nos jogos em tons púrpuros. O motivo? Eu sei lá!)

ㅤㅤ─ Mas pai, em alguns videos que vi no celular da mamãe, o seu fogo parecia rosa. ─ A menina pareceu um pouco desapontada ao saber que não era um fogo cor de rosa.

ㅤㅤ─ Não fique triste por causa disso. Afinal, você nunca esteve frente a frente com as chamas do lendário Iori Yagami. Contemple, o que todos chamam de... As Chamas do Destino! ─ Engrossando mais a voz, que já era naturalmente grossa, o ruivo fez uma encenação para a menina, querendo conquistar a torcida e empolgação dela com a demonstração dos seus poderes. Uma chama nasceu na palma da mão destra do ruivo através de sua concentração de chi que flui por todo o seu interior. A menina ficou hipnotizada pelo brilho forte que a chama emitia em sua cor, até esticava as mãozinhas para tentar tocar o fogo, curiosa. Mas Iori interviu, fechando o punho e apagando a chama.

ㅤㅤ─ Nem pensar! Quer se queimar? ─ Disse ele ao chamar a atenção da menina. O jeito como ele falara a fizera ficar um pouco acuada, mas não ao ponto de chorar.

ㅤㅤ─ Desculpa, papai. ─ Ela ficou meio cabisbaixa. Esperava Iori que Chizuru não ficasse brava com isso.

ㅤㅤ─ Agora que você já viu as Chamas do Destino, vou lhe contar o motivo dela ser tão importante nessa luta e o que perigo que ela, parcialmente, representou para mim e sua mãe naquele tempo... ─ E a história volta ao passado...


ㅤㅤSOUND BEACH – 2016


ㅤㅤIORI NARRADOR: Antes mesmo de contar como sua mãe conseguiu me acertar na cara de novo com esse sapato de salto alto e fino, e que por pouco não me furou os olhos, eu tenho que te contar que a rixa minha com aqueles seres do Sol é coisa que veio muito, muito antes de tudo ser como é hoje. Em tempos onde uma gigantesca serpente de oito cabeças do tamanho de uma ilha ameaçou destruir todo mundo com sua insaciável sede por sangue. O fogo do papai antes de tudo isso era igual o fogo comum. Mas foi por uma fraqueza de espirito (nessa época, Iori reconhece isso.) que nosso ancestral permitiu-se ser doutrinado pelas forças do Orochi e realizar um pacto de sangue. Nós fomos amaldiçoados por muitos anos. Ganhamos poderes devastadores, mas sofremos punições. Homens morriam cedo e mulheres ao terem um bebê. Por alguma razão, eu ainda estou aqui. E sua mãe também. Sinal de que burlamos de alguma forma a lei maldita que essa Serpente colocou sobre a nossa arvore genealógica. Por muito tempo eu vim travando uma batalha mental contra o meu eu demoníaco, uma versão sombria e completamente maligna de seu pai e que vivia preso dentro de mim, sempre esperando por uma brecha para me atormentar mentalmente e me prejudicar, tanto nos combates quanto em vida. Eu nunca gostei de violência e por mais que meus golpes sejam violentos, eu era impulsionado por esse ser a atacar sempre com a intenção de matar. É por isso que alguns me chamam de Instinto Desenfreado. Por anos eu vim tolerando e tentando controlar a voz que tinha dentro da minha cabeça, que buscava me irritar em qualquer situação que eu me metia, mas me salvando também quando eu corria risco de morte, o que foi poucas vezes. Agora... Como essa voz me atormentou na luta com a sua mãe? Vou te contar...

ㅤㅤ─ AAAAARGH!! KISAMAAAAA! ─ O contra-ataque de Chizuru, com aquele chute em posição que lembrava a de uma garça branca acertou em cheio a cara de Iori, onde seu nariz e sua testa foram afetadas pelo solado do sapato dela, cancelando sua investida com o antiaéreo do movimento sem chamas que não era incoerente já que ele podia ser usado com adversários no chão, mas ela foi rápida o bastante para pegá-lo antes da sua execução final. O impacto da porrada foi tão forte que o fez arrastar os pés no chão enquanto empurrado pela força do golpe para trás. Sua cabeça acompanhou o movimento para trás e por um triz, ele quase cai no chão. O nariz começava a sangrar, assim como sua testa, pois aquele salto fino da desgraça só faltou perfurar seu crânio. Sorte do Iori ser cabeça dura!

ㅤㅤO 104 Shiki: Nue-Uchi era vital para que suas outras habilidades pudessem seguir como o planejado e aquele chute colocou toda a sua investida buraco abaixo. A dor que ele sentiu do impacto foi tão forte que lhe deu uma dor de cabeça filha da puta, ao ponto do próprio Iori pensar que seu cérebro girou dentro da sua cabeça. Mas ele não podia perder o seu controle agora. Em momentos como aquele, ele demonstrava uma reação agressiva. Foi aí que entra a terceira personagem dessa história. O Tsuki no Yoru Orochi no Chi ni Kurufu Iori. Ou, do jeito que todos costumavam chamá-lo: Orochi Iori.

ㅤㅤ─ Você sendo pressionado por uma Yata? Aqueles que seus ancestrais eliminaram facilmente 700 anos atrás? Até quando continuará sendo um fracote, Yagami? He He He. ─ A voz soava dentro de sua cabeça. E em um tom onipresente e arrogante demais, que sempre tinham algum efeito sobre o Iori. Como ele tem treinado muito para controlar seu poder Orochi, por meio de uma técnica desenvolvida no seu confronto com Luise Meyrink no passado, que libertasse porções controladas da fúria de Orochi para seu bel-prazer, Iori tem focado muito os treinamentos mentais que o ajudasse a tolerar essa irritação proveniente do encosto que ele deveria carregar pra vida toda. Mas por algum motivo, ignorar ele não estava sendo fácil. E isso ocorria por uma razão: Iori estava preocupado! Com o que? Lembra quando ele dissera não gostar de violência? Ele também não gosta de machucar mulheres, mesmo que ele tenha arrebentado a King, Mai, Elisabeth e outras mulheres ao longo de sua vida marcial, mas isso não vem ao caso. O importante é que ele não queria perder o controle de suas emoções e dar brechas ao demônio. Pensar em uma possibilidade de perder o controle do seu corpo para essa entidade incomodava o ruivo, o que desestabilizava seu emocional ao ponto de deixá-lo agressivo as provocações que só ele ouvia. Confiar na Chizuru para derrotá-lo em caso de emergências, ele confiava. Mas naquele momento... Ele não parecia muito confiante de si mesmo.

ㅤㅤ─ Você está tão envolvido emocionalmente com essa Yata que ela está o enfraquecendo. Você deveria matar ela. Ou vai querer ser inferior ao Kusanagi para a vida toda? ─ A voz não parava. E Iori abriu os olhos no mesmo instante que Chizuru saltou pra cima dele para o atacar com uma voadora. Sem se dar conta, o fogo que ele soltou por todo o cenário com um murro no movimento anterior, acabou se apagando e a energia dele se voltando para Iori. Energia suficiente para que ele pudesse gerar o poder das chamas do destino em ambas as mãos e acompanhar o salto dela com um impulso de seus próprios pés, para o alto. Mas o que ele dizia nesse momento era incoerente com a ação realizada dele.

ㅤㅤ─ URUSAAAAAAI! ─ Ele gritou um 'cala a boca' em japonês, bem alto, como se mandasse a própria Chizuru, que nada tinha falado naquele momento.




ㅤㅤA aura de Iori mudou. Não era mais um resplendor azul, mas obscuro. E o golpe de Iori para combater aquela voadora da sacerdotisa era outro antiaéreo dele e dessa vez, eficiente para esses tipos de ofensivas. 100 Shiki: Oni-Yaki: Aproveitando-se da energia das chamas dispersadas sobre o solo antes, Iori pode canalizar rapidamente seu poder e fazer que desse salto criasse uma barreira de fogo que acompanha seu corpo em uma espiral durante o salto. Como uma serpente em chamas, protegendo seu corpo do contato físico de qualquer criatura, essa investida de Iori tem como principal função anular a voadora de Chizuru e depois envolver o corpo dela por completo com o poder corrosivo das suas chamas púrpuras. Normalmente, os atingidos por esse golpe são arremessados para trás, longe da posição de Iori para que ele aterrisse ao chão em segurança após seu sucesso - caso o ocorra.

ㅤㅤ─ Grrr... Você... Não tem o direito... ─ Disse ele, com a visão um pouco comprometida. Até que ele retomou a realidade.

ㅤㅤ─ Você pediu para que eu não me conte-se... É melhor me enfrentar como se quisesse me matar... ─ A voz dele estava um pouco diferente. Seu comportamento inteiro mudou. Era a influência daquele espirito o dominando pouco a pouco.




ㅤㅤControlando as chamas na palma de sua mão, Iori não pensou duas vezes. O tamanho da chama acabou elevando-se sob seu controle e ele tratou de dispará-la ao chão, fazendo-a ir em direção a Chizuru. Esse era o 108 Shiki: Yami Barai. O projétil rasteiro de fogo e tradicional do Yagami. A finalidade do ataque não era atingir Chizuru, mas por trás disso... Era uma distração. A chama do Iori corria sobre o solo com ferocidade, devastando tudo em seu caminho até colidir com algo e explodir. Se por acaso Chizuru sofresse algum dano desse ataque, seu corpo seria novamente tomado pelo poder das chamas do ruivo e teria suas forças lentamente drenadas até que ela se livre de toda a energia ruim. Mas caso não sofra, Iori aproveitaria do mesmo instante que lançou a chama para correr em direção a ela, como se quisesse repetir a investida anterior. Mas ao invés de bater nela, ele faria uma 'esquiva', passando sorrateiramente pelo lado da sacerdote, deslizando no solo de um modo que lembrasse a corrida da execução do seu massacre das donzelas. Rapidamente, ele giraria sobre seu próprio eixo para atacar ela pelas costas.

ㅤㅤCorria risco o Yagami de ser atingido pela sua própria chama? Sim. Há um risco, mas ele saberia lidar com isso e amenizar as consequências, já que se trata de um golpe criado por ele mesmo, origem de sua própria fonte de poder.

ㅤㅤ─ TOMA ISSO!




ㅤㅤIori atacaria Chizuru com seu Stylish Move 10. Começando por um Nimai Geri, que é um chute do caratê que golpeia a parte exterior da perna do adversário para provocar o desequilíbrio na postura do mesmo. Em seguida, ele faria uso do Mawari Ashi que se trata de um deslocamento em rotação, mantendo o equilíbrio na perna esquerda enquanto à direita o ruivo usa para golpear a face do oponente com um Roundhouse kick e por último, finalizando voltando a passar um rodo no oponente com um low e reverse kick, fazendo este cair ao chão.

ㅤㅤ─ E MAIS ESSA! ─ Berrou novamente.

ㅤㅤSe Chizuru fosse atingida pelo Stylish Move 10 do Yagami, ela cairia ao chão e ficaria por alguns segundos vulnerável ao ruivo. Ele ainda teria uma reação que não poderia ser considerado um ataque. Pois embora tenha a intenção de bater nela, no ultimo momento, ele erraria de propósito o soco e golpearia o chão com força, ao lado da cabeça dela. Esse soco no chão e próximo a ela (somente se ela for atingida pelo combo), era uma resposta da mente dele que entrava em conflito com sua personalidade maligna.

ㅤㅤ─ Maldição! ─ Ele aparentava estar cego. Ou desorientado na luta.


ㅤㅤSOUND BEACH – 2025


ㅤㅤA menina ficou em silêncio o tempo todo com os relatos do pai. Embora os giros graciosos da mamãe não tenham acontecido como ela tinha contado, a menina ficou interessada em saber mais sobre esse lado alterado do pai durante a luta. Iori deu um sorriso ao perceber que ela ficou vidrada na história dele.

ㅤㅤ─ Esse foi apenas o começo, Shizune. Mas foi algo que me fez tomar uma decisão muito importante no final.

ㅤㅤ─ Mas a mamãe vai ficar bem? ─ Ela fazia uma carinha triste.

ㅤㅤ─ Claro que vai! Ela tá aqui do lado. É sinal de que tudo acabou bem. ─ (Ou não. Ninguém sabe ainda.)

ㅤㅤ─ E que lição foi essa, papai?

ㅤㅤ─ Hehehe. Vai ter de esperar o final da história, baixinha. ─ Ele olhou para a Chizuru, com um sorriso nos lábios. ─ Acho que é a sua vez. ─ E piscou pra ela.









avatar
Đεstroчεr ⌠ 八神 庵 ⌡
Administrador
Administrador

Aniversário : 25/03/1975
Lugar de Origem : Tóquio, Japão
Mensagens : 173
Data de inscrição : 11/08/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Round 3 Move 2

Mensagem  ♔ChizuruYata ✡ вσssкαgυrα em Qui Nov 30, 2017 3:57 pm



StoryMode:Round 3 Move 2


Southtown, Sound Beach: 2025.




ㅤㅤㅤUm sorriso aparece em meus lábios ao notar que Iori resolvera se entregar ao espírito relaxado na praia. Olho para a criança feliz e divertindo-se e me acomodo sobre a toalha que havia colocado no chão.



ㅤㅤㅤEstendo minha mão para a bolsa com as coisas, enquanto ele conversa com Shizune, pego novamente o protetor e agora usando para passar nas minhas pernas, braços, colo e rosto. Deixo-o ao lado para poder me lembrar de usá-lo novamente na menina, que ficaria mais na água.



ㅤㅤㅤRelaxo deitada um pouco de lado para olhar os dois, sabia que Iori iria demorar em contar toda sua parte da história, fico prestando atenção na criança, ela demonstra ser feliz, não tem preocupações e ainda aprende as coisas com bastante facilidade, é atenciosa e curiosa, qualidades para as crianças.



ㅤㅤㅤNo momento que ele mostra as chamas para Shizune e ela quase encosta a mão no fogo me seguro para não brigar com ele, isso assustaria mais ela que a repreenda do pai sobre o movimento dela, fico aliviada por ela não encostar-se às chamas e fuzilo Iori com olhos e uma expressão bastante séria no rosto.



ㅤㅤㅤFico mais relaxada no decorrer da narrativa dele. Fecho meus olhos para relaxar um pouco, cuidar de uma criança não era nada fácil, ainda mais com o agravante da idade, cinquenta e um anos com uma criança de quatro anos, é muita atividade para um único dia.



ㅤㅤㅤO cansaço me faz cochilar após Iori explicar a primeira investida que usou e abro novamente os olhos quando a voz dele some e dá lugar ao silencio. Ao abrir meus olhos ele estava me olhando e sorrindo. Shizune está concentrada, provavelmente tentando compreender tudo que seu pai disse no seu mundo infantil e imaginário.



ㅤㅤㅤ— Shizune, olha para a mamãe... Aconteceu o seguinte... – continuo a explicar a situação do combate.


Southtown, Sound Beach: 2016.




ㅤㅤㅤSinto meu corpo debilitado, mesmo tendo um controle de ki sobre meu corpo, tentando eliminar o efeito negativo das chamas do destino, esse efeito não fora completamente anulado, não fico esperando resultado do chute que senti acertar o rosto dele. Já salto com a voadora em direção a ele.



ㅤㅤㅤNo ar escuto o grito dele e a técnica que ele utiliza para evitar meu chute aéreo me joga para o chão. Novamente as chamas do destino tocam meu corpo, um pouco da minha roupa queima, o ato de cair no chão eu giro para também apagar o pouco do fogo nas vestes. No momento que me coloco de pé, minha visão turva e uma tonteira toma meu corpo. Respiro fundo e pisco várias vezes.  



ㅤㅤㅤO projétil dele vem em minha direção, as malditas chamas de novo. Fixo meus olhos no rosto de Iori, séria, concentrando meu ki e fazendo uso das técnicas das artes antigas japonesas, uso meu Hyaku Hachi Katsu - Tama Yura no Shitsu Ne, retiro a mão da têmpora direita e com um movimento do braço de cima para baixo e deslizando minhas pernas para afastá-las e dobrando o joelho um projétil sai da minha mão indo de encontro ao dele.



ㅤㅤㅤ— Você passou anos alimentando a mesma fala, que tinha controle sobre Orochi no seu corpo, me impedindo e negando qualquer ajuda para se livrar dele... Hoje não estou vendo controle nenhum em você Iori. – falo dando um passo para trás após usar a técnica.



ㅤㅤㅤA tonteira volta, respiro fundo, um segundo para organizar o ki em meu corpo, expulsar os efeitos negativos das chamas de mim. Tempo suficiente para ele se aproximar. A pancada na minha perna me desestabiliza, o reflexo da guarda se faz presente, ergo o braço a tempo de sentir a pancada da mão dele contra o mesmo. Impacto esse que faz meu próprio braço me acertar. A dor reverbera por ele. Quando percebo meu corpo está novamente caído no chão, um segundo chute de Iori em minhas pernas me derruba.


Southtown, Sound Beach: 2025.




ㅤㅤㅤ— O papai te machucou mamãe. – a menina interrompe minha fala com a voz chorosa.



ㅤㅤㅤ— Sim, ele me machucou, mas no momento que você aceitar entrar numa luta, você pode ter certeza que vai se machucar. Você não pode ir achando que é superior ao seu oponente e nem se achando inferior a ele. Machucados vai ser a consequência de você ser uma lutadora. Mas isso é o de menos, o que você aprende com a arte marcial é que importa. – respondo sorrindo para ela e passando a mão no rosto dela.



ㅤㅤㅤEla sacode a cabeça com determinação, o que ela entendeu da minha fala eu não sei, mas tinha um brilho nos olhos dela que me fez sorrir e continuar a história.



ㅤㅤㅤ— Só que a luta não acabou aí, a mamãe não ficou sem revidar, seu pai precisava entender algumas coisas naquele dia... – e continuo a falar com calma e sem desenhos dessa vez.


Southtown, Sound Beach: 2016.




ㅤㅤㅤOs chutes na minha panturrilha incomodam, sinto a dor no musculo quando firmo os pés me levanto do chão.



ㅤㅤㅤ— Eu não preciso querer te matar para lhe machucar, só preciso lutar Iori! Você está cego, assim como seu antepassado que achava que o poder desse demônio iria resolver os problemas dele! – falo de forma ríspida e determinada.



ㅤㅤㅤMinha respiração está mais acelerada, o esforço interno em livrar-me do efeito da chama do destino é tão desgastante quanto à luta que está acontecendo. Meu movimento é rápido, não iria deixar cansaço extenuante do efeito negativo dessa chama me incomodar. Tudo que aprendi e venho treinando durante todos esses anos pode ser usado, pode me auxiliar. Fecho os olhos, respiro duas vezes mais forte e acalmo minha respiração, ainda com os olhos fechados e uso concentração de ki, faço uso de mais uma técnica antiga que venho utilizando e estudando a tempos, Ni Hyaku Juu Ni Katsu - Shinsoku no Norito, mando uma cópia espiritual em direção à ele, a movimentação dela é em linha reta, avança e abaixa, apoiando o peso na perna esquerda ao dobrar o joelho, jogando as mãos para frente e logo abrindo os braços e tentando acerta-lo e bloquear o avanço dele ao mesmo tempo na tentativa de bater o peitoral contra o corpo dele. Eu fico no mesmo lugar, mas a investida da cópia é uma tentativa de distração para ele, quando tenta desviar ou investir contra a mesma, eu estaria investido com um ataque real em direção a ele.



ㅤㅤㅤDesloco em direção de Iori no mesmo instante que envio minha cópia no momento que ela desaparece eu estou fazendo uso do meu chute, Jokatsu - Sousou (Cang Cang), um salto curto para pegar impulso e estico minha perna no alto em direção ao rosto dele. Em sequência, com o corpo mais próximo dele, faço uso dos movimentos dos meus braços, com as mãos abertas, os quatro dedos esticados e o polegar retraído, invisto contra ele na intenção de acerta-lo no ponto entre o pescoço e ombro, em meio aos olhos e no pescoço entre o queixo e o peito.


Southtown, Sound Beach: 2025.




ㅤㅤㅤShizune me olhava ainda concentrada em minhas palavras, todo o movimento que explico para ela parece ser mais que ela conseguia absorver.



ㅤㅤㅤEla fica olhando entre nossos rostos, Iori e eu, tentando entender talvez como duas pessoas lutam de forma tão dura e ainda continuam juntos ou talvez um pensamento mais simples e infantil, que com certeza estava passando um momento de fantasia relacionado as coisas infantis que ela adorava assistir e ler.



ㅤㅤㅤ— Seu pai vai continuar, agora é a vez dele de novo. – sussurro por fim e toco o nariz dela com a ponta do indicador.



ㅤㅤㅤVejo-a piscando os olhos de forma rápida, lindos e grandes olhos castanhos, logo vinha aquele sorriso gostoso de olhar. Um sorriso puro e sincero de criança era um presente para quem podia observar e ganhar.


avatar
♔ChizuruYata ✡ вσssкαgυrα
Visitante
Visitante

Aniversário : 26/06/1974
Lugar de Origem : Tóquio, Japão.
Mensagens : 34
Data de inscrição : 13/08/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

ROUND 4 MOVE 1

Mensagem  Đεstroчεr ⌠ 八神 庵 ⌡ em Qui Nov 30, 2017 4:39 pm



STORY MODE - ROUND 4 - MOVE 1
八神 庵 vs 神楽 ちづる
008 - "The Indigo Inferno of Misanthropy"


ㅤㅤSOUND BEACH – 2025


ㅤㅤIori achava interessante a interação de mãe e filha, pois era algo que ele não pode ver com a criação das demais filhas dele. Shizune tinha herdado praticamente tudo do lado dos Yata. A aparência, a cor dos cabelos, dos olhos, a preferência por cor branca, mas aquele narizinho e queixo Iori tinha certeza que ela puxou dele. Uma criança feliz, despreocupada, brincalhona com certeza era o tipo de ser humano que para dois adultos com a agravante idade, ambos na casa dos cinquenta, não conseguiriam lidar com toda a energia explosiva e às vezes, incessante da pequena Shizune Ayumi. Por sorte, eles podiam contar com a ajuda das outras filhas de Iori para tomar conta da menina quando ambos tinham suas ocupações.

ㅤㅤMas naquele dia, em especial, na praia, eles não tinham motivos para serem descuidados. A criança adorava estar sempre com os pais, talvez mais com a mãe por sempre atender as coisas que ela pedia com mais naturalidade, enquanto Iori tinha certas dificuldades para entender certos pedidos. Como a menina estava falando bem até, havia alguns momentos que ela tentava falar e dizia coisas desconexas para Iori, que ficava com uma cara de taxo até chegar Chizuru e resolver tudo com maior facilidade. Ele ouviu dizer que mãe consegue entender mais os filhos. E ele passou a acreditar nisso. Quando Chizuru terminou de contar toda a sua parte da história, Iori chegou pensar um pouco como viria a contar o evento a seguir. Os golpes que ele usou nessa sequencia foram ficando cada vez mais violentos e se o fato dela saber que o pai machucou a mãe antes a deixou um pouco aflita, imagina então com o que estava por vir? História é história, logo, ele não poderia ocultar detalhes que a mãe poderia entregar ele.

ㅤㅤ─ Papa, papa, me conta porque a mama não gosta das suas chamas? ─ A menina percebeu durante o turno de sua mãe que ela vem lutando contra a negatividade do poder do pai o tempo todo. E sua curiosidade falava muito alto a respeito dessa curiosidade. Ela ficou mais próxima da beirada da piscininha, olhando o mais velho e esperando por alguma resposta. (Obs: Crianças pequenas no Japão costumam chamar o pai de papa e mãe de mama.)

ㅤㅤ─ Bom... Deixe-me ver como vou contar isso... ─ Iori tirou o óculos de sol que havia comprado junto com suas roupas e resolveu colocar o óculos na sua filha. ─ Cansei de usar isso. É seu agora. ─ Ela ficou engraçada com aquela armação grande.

ㅤㅤ─ Esses óculos são grandes demais, papa! ─ Disse a menina enquanto segurava ele com as mãozinhas molhadas da piscininha.

ㅤㅤEntão ele aproximou-se mais dela e acabou cutucando com a ponta do dedo indicador a testa da menina.

ㅤㅤ─ Presta atenção agora. Pois sua mãe estava certa sobre ter de me ensinar algumas coisas naquele tempo. Embora eu tenha relutado por mais alguns anos até ceder e pedir ajuda da sua mãe. ─ Contou ele, sorrindo. Então ele olhou para o céu azul e buscou as lembranças daquela luta mais uma vez. E não, ele não estava ficando esquecido.


ㅤㅤSOUND BEACH - 2016

ㅤㅤSuas investidas contra a Chizuru surtiram o efeito que o outro procurava. Embora seja Iori que esteja lutando ali, parecia que era outra pessoa que tomava conta dos movimentos dele, dos pensamentos e de sua irritação. A sacerdote percebia isso na hora e até mesmo direcionava um comentário irritante sobre sua condição a ele, que tomou isso de forma dolorosa e desrespeitosa. Iori, nesse tempo, era ainda o sujeito orgulhoso que não aceitava de forma alguma que alguma que alguém lhe dissesse o que estava certo ou errado na sua forma de pensar e agir.

ㅤㅤQuando as chamas do destino usadas pelo antiaéreo 100 Shiki: Oni-Yaki de Iori derrubou Chizuru, a sacerdote recuperou-se imediatamente e apagou apressadamente o fogo que queimava parte de suas vestes brancas. Em pé, aparentemente sob os efeitos corrosivos do poder, a mulher reagiu logo em seguida contra-atacando as chamas rasterias do ruivo lançadas em seguida com um golpe no chão que repeliu o ataque fazendo-o mudar de direção e voltar contra o ruivo. Infelizmente, ele não estava mais no local inicial de seu ataque. Ele não previu que ela fosse rebater o movimento e felizmente, sair numa investida para golpear ela acabou o salvando de ser golpeado pelo próprio poder.

ㅤㅤAs sequencias seguintes de seus ataques foram intensos, todos saíram com perfeição, atendendo a sua vontade de derrubá-la ao chão no fim. Ele ainda tentou golpear a cara dela, mas desviou o murro de propósito atingindo o chão ao lado dela. Foi nesse momento que Iori teve uma recaída. Um momento em que ele ficou com as pernas bambas e perdeu a noção do que acontecia ao seu redor por um breve momento - a chance perfeita para sua adversária se levantar e se posicionar para atacar.

ㅤㅤA mente de Iori estava entrando em colapso. E isso não era normal. O selo de Orochi estava intacto ainda. Não havia nenhum integrante dos Hakeshus por perto para poder atiçar a fúria de sangue nele. O que poderia ser? A resposta estava dentro do próprio Yagami. Aquela terceira personagem dessa história que odiava com todas as forças os Kusanagi e principalmente os Yata. Mas como isso era possível? Simples! O Yata tinha total capacidade para exorcizar e selar os demônios Orochi do interior das pessoas persuadidas e todo o envolvimento de Iori com ela colocava em risco que o monstro dentro do ruivo pudesse continuar com sua estratégia de elevar a raiva do Iori e principalmente tomar conta do corpo dele quando o mesmo não estiver 'operacional'. Nesse caso, sua identidade Orochi estava se manifestando cada vez mais, fazendo com que o próprio Yagami estivesse dentro de um conflito mental pelo domínio de seu corpo e suas vontades.

ㅤㅤTentando o máximo possível voltar sua atenção para a luta, Iori não estava preparado para o ataque de sua mulher. Ele achou que ela veio correndo em sua direção para golpeá-lo com a palma das mãos. O movimento foi desesperado. A força que ele usou para esmurrar a face da ilusão foi tamanhã que, não só anulou o ataque dela (que por sinal era uma distração), como também a fez colidir com o chão como se fosse um saco de carne morta e desaparece como se fosse um passe de mágica. Foi só com um chute na altura da cara (de novo) que levou o Yagami a perceber que o movimento anterior dela se tratava de uma das ilusões. Bom, na verdade, ele cogitou. Pois a dor da pancada no rosto o fez cambalear para trás e levar as duas mãos para ocultar a face enquanto gemia e resmungava algumas palavras incompreensíveis em japonês.

ㅤㅤ─ Grrrr... Kisama... Baka bakashi... ─ Aos poucos, ele foi voltando seu olhar para ela.

ㅤㅤEle estava alterado, totalmente mudado. A raiva parecia ter dominado completamente ele e todo o ensinamento marcial dominado por ele no Hung Gar Kuen ao logo de todos esses anos, dos incontáveis mestres que passou ao longo dos anos como artista marcial, tudo isso desapareceu por completo! Ele não estava mais como um ser humano espiritualizado nas artes marciais. E nem aquele comportamento arrogante e anti-social dele se encontrava mais ali. Seus olhos estavam vidrados em Chizuru e focados como se fosse uma presa e que precisasse derrubar ela para destroçá-la com seus dentes. É meus senhores. Iori estava na parte final de sua possessão. E quem diria... Logo após ter passado por uma fase de enfrentar os capirotinhos da família de Lilith Skyamiko! Quão irônico poderia ser isso? Ele não fazia ideia. Mas agora... Isso era problema da Chizuru. E que problema!


ㅤㅤSOUND BEACH ─ 2025

ㅤㅤ─ Papa... O que estava acontecendo com você? ─ Com o tom de voz preocupado e um pouco amedrontado com a descrição do pai sobre a situação, Shizune ficou um pouco incomodada.

ㅤㅤIori não fez por mal. Ele não queria deixar a filha com medo com isso. Mas era algo que ele precisava contar e mesmo esperava que sua esposa não se incomodasse com a forma como ele passasse os detalhes. Era igual um filme de terror. Ou um conto assustador para ser compartilhado junto de amigos em frente à uma fogueira diante um tempo fechado com possíveis ameaças de chuva. Ele viu necessidade de dizer tudo o que ela tinha curiosidade.

ㅤㅤ─ Olha... Não tenha medo. Não há a menor chance do que aconteceu no passado voltar a acontecer agora. Nunca mais. ─ Ele passou a mão na cabeça da menina, afagando os cabelos morenos dela.

ㅤㅤ─ O que aconteceu depois? ─ Perguntou curiosa.

ㅤㅤ─ Como eu estava lhe dizendo... As Chamas do Destino do papai são de certo modo muito ruim para quem sofre com elas. O fogo tem um efeito negativo tão poderoso que pode deixar a vítima enfraquecida, com o corpo todo dormente, além de queimado. E sua mãe tem uma resistência incrível contra esse tipo de poder. Algumas más línguas dizem que sua mãe é sagrada, sabia? Como se fosse um anjo enviado dos céus para cuidar de mim e ser sua mamãe. Huhu. Mas... Voltando ao foco aqui... A forma que atingi é uma resposta do sangue ruim que o papai herdou de um ritual desnecessário feito pelos nossos ancestrais. Esse poder que vem de Orochi, um deus serpente de oito cabeças, do tamanho de uma ilha, ele fez com que eu nascesse junto com um monstro que antes viveu dentro de mim. E hoje, não mais. Esse monstro quando ele tomava conta do corpo do papai, fazia que eu perdesse controle das coisas e agir como um cara mal, totalmente descontrolado e sedento por destruição. Meu cabelo mudava de cor, parecendo um castanho avermelhado. Meus olhos ficavam totalmente brancos, em alguns casos, em tons amarelados. A pele escurecia ou esbranquiçava. Não sei bem como isso é possível e o que difere ambas as tonalidades, mas... não é legal. O corpo todo dói. Espasmos são cada vez mais... intensos. Entende? ─ Ele parou um pouco para olhar para a garota, que ficou em silêncio esse tempo todo. Só ouvindo e quem sabe, imaginando as coisas que eram descritas.

ㅤㅤEntão ele voltou a contar para a menina o que veio a seguir. A total transformação de Iori Yagami...


ㅤㅤSOUND BEACH ─ 2016

ㅤㅤNessa altura dos acontecimentos, Iori já não sentia mais as dores das pancadas anteriores. Mesmo Chizuru tendo lhe atingido tantas vezes na cara (parece que ela tem tesão nisso), seu estado espiritual estava completamente abalado e parece que houve uma bomba de adrenalina passando por todo o seu ser, que o fizesse andar para cima dela como se nada mais importasse. Sua velocidade pareceu ter aumentado também. Assim como sua força e sua resistência. O que ele tentou fazer nessa aproximação um tanto estranha foi o seguinte: 203 Shiki: Tsuchi Tsubaki. era o segundo "agarrão de comando" de Iori, diferente do Kuzukaze e do Ex Kuzukaze. Nesse movimento (que é um tanto suicida), Iori tentaria agarrar Chizuru pelo pescoço apertar a região com força enquanto a tira do chão. Ele sorriria de modo insano e então, arremessaria ela para o outro lado do chão com sua tremenda força, tão forte que ela viria a quicar no chão.

ㅤㅤ─ Heh. Patético. ─ Diria durante a execução do movimento.

ㅤㅤSe o movimento tiver sucesso, a seguinte investida de Iori será imediata. Enquanto o corpo de sua amada estiver quicando no chão por causa do impacto do arremesso, Iori aproveitaria para criar uma possibilidade de 'juggle' nela. O golpe seguinte para fazê-la queimar e quicar de novo no chão seria o 311 Shiki: Sou Kushi onde sua movimentação consistiria num curto salto para frente enquanto gira em 360º sobre seu eixo, alimentando suas garras de tigre com o poder de suas chamas e desferindo uma pancada explosiva, visando recapturar a oponente ainda no ar e causar o impacto que faria ela quicar novamente no chão, como uma bola de basquete.

ㅤㅤ─ Hoooah! ─ Berrou.

ㅤㅤMas não acabou por aí. Ele não faria Chizuru ficar batendo no chão atoa. Queria ele poder usar alguma coisa do cenário ao seu favor, mas parecia que nada à sua volta servia para alguma coisa. Então, restou ele colocar um pouco mais de pimenta nessa batalha e fazer algumas coisas explodirem. Afinal, Iori sem explosões é o mesmo que Michael Bay sem explosões. Para findar essa ação ofensiva do Yagami, o Super Ataque Ura 1207 Shiki: Yamisogi seria sua cartada final para causar um dano devastador sobre sua adversária. Seu ki manifestaria-se rapidamente com o boost de poder recebido pela sua identidade Orochi e duas labaredas de chamas seriam arremessadas contra Chizuru no momento que ela vier a colidir com o solo. A força dessas labaredas fariam novamente a mulher ser arremessada para o alto. Parece sacanagem, mas não é. Realmente, elas tem esse efeito para que a próxima explosão seja o finalizador dessa sequencia de juggles. Com o corpo tomado pelas chamas, Chizuru sofreria da paralisação do fogo de Orochi enquanto rapidamente inclina a sua coluna para trás com os braços a vir ser posicionados em frente a sua face e cruzados para imediatamente lançar o poder destrutivo das chamas do Destino que acarretará na criação de uma enorme erupção flamejante que se estenderá até as nuvens. A explosão é tão impactante que fará as pessoas que estiverem ao redor sentirem os tremores e verem o clarão intenso do poder ao longe.

ㅤㅤ─ SHINEEEE! ─ Berrou novamente.

ㅤㅤAo fim de tudo, dando certo ou não, Iori já estaria a um passo de mudar completamente. Curvando-se para frente, seu corpo treme. Ele acabava vomitando sangue. Uma boa quantidade para ser exato. Aquilo era o sinal de que ele já estava perdido e quem se encontrava ali, não era mais Iori.


ㅤㅤSOUND BEACH ─ 2025

ㅤㅤShizune Ayumi ficou um pouco confusa com a explicação de Iori. Tanto que lançou um comentário que fez o ruivo ficar um pouco pensativo a respeito do que ele havia contado.

ㅤㅤ─ Papa, tudo isso que o senhor fez parece uma sequência de vídeo game. ─ Ela inclinou a cabeça para o lado. Tão nova e tão esperta, além de meiga e fofa.

ㅤㅤ─ Agora que você me falou... Realmente. E ainda dizem que vídeo games ultrapassam os limites da realidade. ─ Afirmou o ruivo, olhando pro céu ainda.

ㅤㅤ─ E a mamãe se safou do seu ataque? O que aconteceu com você? O monstro te dominou? ─ A menina mostrou estar mais empolgada do que antes agora. Ficou até em pé na piscininha querendo saber o que houve a seguir. Ela parecia gostar de ver as coisas pegando fogo e mesmo que ela não possa usar as chamas do pai, havia um pouco de Yagami dentro dessa garotinha.

ㅤㅤIori riu. E fez a menina voltar a sentar-se na água enquanto virava-se para Chizuru que ficava quieta esse tempo todo.

ㅤㅤ─ É sua vez, amor. Conta pra ela como foi sua experiência enfrentando o antigo Orochi Iori. ─ Ele sorriu.








avatar
Đεstroчεr ⌠ 八神 庵 ⌡
Administrador
Administrador

Aniversário : 25/03/1975
Lugar de Origem : Tóquio, Japão
Mensagens : 173
Data de inscrição : 11/08/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: IORI YAGAMI VS CHIZURU YATA

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 3 1, 2, 3  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum