2nd South
Este fórum contém material para adultos,
destinado a indivíduos maiores de 18 anos.

Se você não atingiu ainda 18 anos,
se este tipo de material ofende você,
ou se você está acessando a internet de algum país
ou local onde este tipo de material é proibido por
lei, NÃO PROSSIGA!!!

Os autores e patrocinadores deste fórum não se
responsabilizam pelas conseqüências da decisão do
visitante de ultrapassar este ponto.

☆ Natal 2017 ☆ Ocultos de Second

Página 5 de 9 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Ir em baixo

Re: ☆ Natal 2017 ☆ Ocultos de Second

Mensagem  不知火 舞 em Qua Mar 21, 2018 5:05 pm


Mai e Andy resolveram dar uma passadinha na cidade de Second Southtown para ver como andavam as coisas depois de tantas destruições. Aquela cidade se recuperava rápido, o que era impressionante, inclusive as lojas de roupas que traziam seus estoques reluzentes.
O que mais impressionava a Kunoichi era o fato de ter uma linda homenagem ao casal no principal cruzamento daquela cidade. Mai adorava aquilo e por isso, virava e mexia insistia com o Andy para que fossem dar uma passadinha lá.
— Não tem nada lá que não tenha em Tóquio.
— Tem sim. Uma linda homenagem pra gente.
— Ok, Mai! Vamos lá ver os velhos amigos.
A Kunoichi ficou reluzente. Deixaram o Dojo Shiranui aos cuidados de Hokutomaru e partiram para os EUA. Apesar daquele jeitinho doido, Mai gostava muito de Heavy Metal, e a única casa de shows que se aproximava disso era o Live House “Old Line”. Foi assim que acabaram sabendo da festa de fim de ano de alguns lutadores. Indignada, Mai disse para Andy ao entrar na casa de show.
— Ora essa… Quer dizer que seu irmão participa de um amigo oculto e nem nos chama?
— Não faça tanta questão disso, Mai.
— Pois eu vou lá falar com ele.
Terry tinha acabado de voltar da entrega de presentes quando Mai foi em direção a ele. Então percebeu que havia uma moça ruiva grávida sentada logo ali perto de onde o seu cunhado estava sentado. Andy levou a mão ao rosto, não sabendo onde enfiar a cara. Mai vestia um lindo vestido tomara que caia florido, dividido nas cores preto e vermelho com scarpins pretos. Ela levou as mãos na cintura, estufou o peito e disse:
— Terry… Bogard! Como pode ser tão mal educado de não nos chamar para uma festa tão bonita como essa?
Mai já foi puxando uma cadeira, chamando Andy que fez questão de fazer um aceno sem graça para seu irmão mais velho. A kunoichi estranhou a energia que emanava da mulher ruiva e acabou se dirigindo a ela.
— Perdão! Me chamo Mai Shiranui e você quem é?
avatar
不知火 舞
Visitante
Visitante

Aniversário : 1 de Janeiro
Lugar de Origem : Japão
Mensagens : 2
Data de inscrição : 21/03/2018

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ☆ Natal 2017 ☆ Ocultos de Second

Mensagem  ℰŧℯяทลℓ ℭℎįℓԃ ~ HISAKO em Qua Mar 21, 2018 5:18 pm



O amigo da fantasma.


ㅤㅤㅤEu não sei como me portar em festas como essas. Os costumes dos humanos do século 21 são bem diferentes dos meus, as músicas que eles tocam e escutam, as formas de se vestirem e se comunicarem, tudo isso é novo para mim e não me sinto muito bem aceita nessa nova sociedade que me enfiei. Apenas continuo no meu canto, como a estranha do grupo de convidados, sentada com minha armadura de samurai e segurando uma caixinha de presente com embrulho de natal.

ㅤㅤㅤPessoas e mais pessoas foram chegando. Notei uma mulher loira que me enfrentou no torneio anterior, quando os demônios tentaram dominar o plano terreno. O nome dela era Blue Mary. Por um momento, eu pensei que deveria cumprimenta-la, mas ao vê-la na dela e bebendo sozinha, acreditei que talvez ela não quisesse ser incomodada. Outra pessoa que chegou acompanhada de seu namorado foi a lutadora Laura Matsuda, minha última oponente nesta cidade. Recordo-me da bravura dela ao ter me enfrentado naquele dia, no mesmo local onde nos ‘conhecemos’ por assim dizer.

ㅤㅤㅤAcho que não tenho jeito para esse tipo de coisa. O mundo que vivo é diferente deles. Talvez as formas de se aproximar podem serem vistas como estranhas ou assustadoras. Não são todos que estão acostumados a verem fantasmas nos dias de hoje, principalmente um que está tão enturmada ao ponto de ser convidada para uma brincadeira de fim de ano. Outros convidados chegaram, no entanto, somente o casal Bogard me chamou a atenção. A esposa dele estava carregando um hibrido de humano com demônio. Olhei um pouco curiosa para esse tipo de coisa e, embora surpreendida com o fato deles terem conseguido quebrarem as barreiras e os tabus, os dois terão de lidar com muitos desafios nos dias que estão por vir. É estranho saber que outras espécies são capazes de procriarem com seres humanos... ouvi não tem muito tempo atrás que um humano se casou com uma Onryö e dessa união foi gerada uma criança com aparência peculiar.... É espantoso saber que o mundo ainda pode te surpreender, mesmo depois de ter ‘vivido’ tanto tempo.

ㅤㅤㅤO show musical que pai e filha apresentaram foi bastante interessante, principalmente pela música japonesa que interpretava os dois lados de uma realidade. O Sol e a Lua. Gostei mais dessa por passar uma emoção de um tempo difícil, pude ver ali que se tratavam de uma rivalidade que estaria queimando fortemente nos dias de hoje. Ouvir esta canção me fez lembrar de uma que minha mãe me ensinou quando viva, que mais se parece uma declaração de amor por toda a eternidade. Começo a relembrar os versos da música, trecho por trecho, palavra por palavra, ao ponto de ela começar a tocar na minha mente juntamente com a recordação de um passado que quase se perdeu. Memórias de uma vida passada podem ser boas..., mas também nos fazem mal.

ㅤㅤㅤ── Achei você ── Meus pensamentos foram cortados ao ouvir um timbre de voz irritante e masculina, de um jovem rapaz que se sentou do meu lado, sem ser convidado.

ㅤㅤㅤ── Quem é você? ── Olhei para o mesmo, que não só se sentou ao meu lado, como também exalava um hálito de cachaça insuportável. Ele passou o braço por volta do meu pescoço, como se pensasse sermos íntimos o bastante para tal.

ㅤㅤㅤ── Não lembra de mim não, pequena? Do churrascão? ── Ele sorriu e olhava para mim de uma forma estranha.

ㅤㅤㅤ── Dong Hwan. ── Respondi.

ㅤㅤㅤ── Alá. Você sabe até meu nome, gatinha. Mas ainda não sei o seu. ── Ele continuou com o braço em volta do meu pescoço, isto me incomodava demais.

ㅤㅤㅤ── Não tenho obrigação nenhuma de revelar minha identidade para você. ── Fui bastante áspera na resposta.

ㅤㅤㅤ── Que isso, mocinha. Eu vi você falando com o Setsuna da última vez. O que aquele pela-saco tem que eu não tenho?

ㅤㅤㅤComo responder uma pergunta dessas?

ㅤㅤㅤ── Setsuna é apenas um colega de batalha.

ㅤㅤㅤ── Sei. Vem cá... não rola de me dar uma chance não? Todo mundo parece estar acompanhado aqui, só você está sozinha hoje... não quer ficar a ser a única segurando vela de toda essa gente, quer?

ㅤㅤㅤBasta! Só fechei meus olhos e minha aura dourada começou a dar choques no individuo sentado do meu lado.

ㅤㅤㅤ── Caraca! Que porra é essa? ── Ele se assustava com os choques. Quanto mais minha aura de luz cintilava pelo meu corpo, mais choque ele tomava e acabava atraindo a atenção dos outros.

ㅤㅤㅤPor conta da canção de pai e filha, eu não pude ouvir os resmungos do sujeito que afastou-se de mim. Nunca imaginei que um dia os meus poderes serviriam como um repelente de homens metidos a galanteadores. A atitude ousada e invasiva desse tal de Dong Hwan me lembrava muito o homem que foi responsável pela minha morte e do meu juramento de que não iria nunca me casar com um idiota. Hoje, depois de tanto tempo, faço novamente este juramento – embora que seja um tanto que impossível, eu não vou perder meu tempo com ninguém que tenha atitudes semelhantes com as desses tipos.

ㅤㅤㅤFiz o pedido de mais uma garrafinha de água e continuei na minha, observando cada um dos mortais que ali estavam. A brincadeira de troca de presentes começava e, em silêncio, ouvi o que cada um dos que foram sendo tirados falavam de seus amigos. Alguns faziam discursos mais prolongados, outros eram diretos na hora de entregar. Neste meio tempo, observei o casal Keith e Yuriko, os dois últimos mortais que me ajudaram na batalha contra o Youkai gigantesco. Não foi surpresa nenhuma para mim saber que eles iam terminar juntos, bastava apenas observar a forma como os dois se encaravam. Mas não olhei para eles dois por causa disso... havia outra fonte de energia semelhante à de Yuriko na festa, uma aura de grandeza assustadora. Esta sensação me deixou em alerta, caso seja necessária uma intervenção divina.

ㅤㅤㅤ── HEY! C’MON! AQUI ESTÁ A MINHA AMIGA OCULTA ... ── Quando ouço essa voz, volto meu olhar para o palco. Foi ele... meu aliado ao lado de Chun-li, o filho adotivo de Jeff Bogard. O que me tirou no ano passado nessa brincadeira e me presenteou com um quimono transparente demais e pequeno demais para se usar.

ㅤㅤㅤ── ... Espero que seja outra pessoa... ── Haviam outras duas mulheres que ainda não haviam sido sorteadas na brincadeira. Uma jovem e a própria esposa dele. Mas...

ㅤㅤㅤ── A GUERREIRA... ── Ele continuou.

ㅤㅤㅤMeus olhos arregalaram.

ㅤㅤㅤ── Não... ── O vi apontando para mim um objeto cilíndrico.

ㅤㅤㅤ── HISAKO!

ㅤㅤㅤEu não entendo mais nada! Como é possível a mesma pessoa acabar com o meu nome em dois anos seguidos? Não entendo muito as regras dessa brincadeira, nem como acontecia esse sorteio, porém.... Tenho medo de pensar o que deve ser aquele item nas mãos do lobo.

ㅤㅤㅤLevantei-me de onde estive sentada e trouxe comigo apenas o presente. Passei por entre várias pessoas, alguns conhecidos, outros desconhecidos. Minha presença atraia olhares por onde quer que eu passe. Não sei se é pela palidez mórbida ou pelas minhas vestimentas de combate chamarem muita atenção. Talvez fosse pelas cicatrizes que tenho no rosto, uma atravessando o nariz e o outro o olho direito? Seriam a íris douradas e brilhantes? Sei que minha aura não está cintilando mais, ou acabaria deformando o espaço e tempo, como se eu fosse uma gravação falha de uma antiga fita cassete (que com certeza, chamaria ainda mais atenção).

ㅤㅤㅤSubo ao palco para receber o presente dele. E quando pego o mesmo, faço questão de abri-lo ali mesmo para ver do que se tratava.

ㅤㅤㅤ── Essa aqui...

ㅤㅤㅤEra a ilustração de Tomoe Gozen, uma das poucas guerreiras samurai, Onna-bugeisha. Sua história foi contada para todas as meninas da minha vila quando éramos visitados pelos teatros. Lembro que essa foi a peça que fora apresentada antes da “Oiwa – a esposa fantasma”, sendo essa última a que me fez ter pesadelos por alguns anos. Pensando nisso... chegava a ser irônico o que o destino me reservou anos depois dessa peça. Mas olhando para aquela gravura da tela, em perfeito estado e bem conservada... era única! Uma peça rara! Não acredito que estou contente de ver algo tão belo assim, dado para mim por alguém que, por um momento, acreditava que ia me dar outra roupa indecente.

ㅤㅤㅤ── Surpreendente, Terry Bogard. Não esperava que fosse capaz de dar um presente de muito bom gosto!

ㅤㅤㅤEle abriu os braços. Naquele momento, fiquei em dúvida. Recordei de Kim Wu, momentos antes de chegar ao Old Line, que eu deveria agradecer apropriadamente a pessoa que me presentear e ser muito educada com a pessoa que for presentear depois. Ela disse que é comum apertos de mãos ou abraços, pois simbolizavam o afeto e a amizade que um tem pelo outro. Terry pode não estar relacionado a mim em praticamente nada, mas a história dele com a do pai lembrava muito minha trajetória e busca por vingança no passado. Acabei cedendo ao abraço dele, retribuindo-o.

ㅤㅤㅤ── Arigatou-gozaimasu! ── Foi o que disse para ele.

ㅤㅤㅤ── Feliz Natal, garota! E apesar de eu também cagar para essa data, isso tudo aqui vale para que nós estejamos juntos mais uma vez. Obrigado por tudo e... Como essa guerreira da tela, você lutou contra muitos, foi tão bonita... Só não imaginava que era gostosa também... ── Então, quando menos esperei, ele fez o impensável!

ㅤㅤㅤParalisei. O choque daquele tapa nas minhas bandas traseiras me deixou sem reação alguma. Ele soltou-se de mim e saiu correndo o mais rápido que pode. Eu, por outro lado, fiquei envergonhada. Por que fui dar confiança para esse sujeito sabendo que ele poderia me proporcionar um momento desnecessário desses? Sem falar que... Maldito da mão pesada! Doeu! Mas não vou questionar isso agora. Ele vai pagar! Ah, vai!

ㅤㅤㅤ── Maldito... ── Olhei para aquele negócio que eles usavam para falar. ── Hm... Olá. ── Um silêncio constrangedor. É. Quem não ficaria assim?

ㅤㅤㅤEntão, eu resolvi falar sem pensar na raiva que estou tendo nesse momento.

ㅤㅤㅤ── Quando vi o nome do meu amigo oculto, me perguntei diversas vezes como ia presenteá-lo. A convivência que tive com essa pessoa foi bem pouca, talvez, apenas troca de olhares e nada mais. Antes de renascer, nos meus tempos mais sombrios, era comum receber ordens para caçar e eliminar o mal que a espécie dela podia causar. Talvez, apenas por esta afirmativa deixou bem óbvio de quem se trata, não? Da mesma forma... poderia ter escolhido um presente de outro mundo e que servisse melhor aos propósitos sobrenaturais dela, no entanto, preferi vê-la como uma humana e trata-la como tal, acreditando que ela faria o mesmo no meu lugar. Foi então que resolvi investigar diversas mentes, masculinas e femininas, buscando várias opiniões de como presentear e ser presenteado. Chego à conclusão de que uma jóia seria mais que suficiente. Mas não uma jóia qualquer. Busquei por algo que mostrasse o valor que essa pessoa conquistou no mundo depois de cada um dos seus feitos. Algo que pudesse não só embelezá-la mais, mas também ser usado como um acessório para um jantar de aniversário de casamento ou para sair em uma festa com o esposo e amigos. Foi com moedas de ouro antigas que consegui comprar este colar, considerada uma das mais caras de todo o mundo. Lilith Skyamiko, este é o seu presente. Feliz Natal. Feliz Ano Novo.

ㅤㅤㅤQuando ela viesse, eu desceria para entregar o presente para ela. Trarei o microfone comigo, caso ela prefira não subir os pequenos degraus. Afinal, ela está gravida de não sei quantos meses, logo, é preciso tomar alguns cuidados.

ㅤㅤㅤ── Tenho certeza que meu presente não será tão valioso quanto a vida que está para por no mundo. Espero poder conhecer a criança, no futuro. ── Abracei-a. E então, voltei para o local onde estive sentada antes.

ㅤㅤㅤQuando passo pelo Bogard, acabo rosnando de raiva e mostrando um pouco dos meus dentes pontudos.

ㅤㅤㅤ── Baka!

ㅤㅤㅤ





avatar
ℰŧℯяทลℓ ℭℎįℓԃ ~ HISAKO
Visitante
Visitante

Aniversário : 27/03/1474
Lugar de Origem : Tōsandō, Vila dos Sussurros - Japão
Mensagens : 72
Data de inscrição : 28/09/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ☆ Natal 2017 ☆ Ocultos de Second

Mensagem  Ƨяα.Bogard♔ĿıſıthƧkɣαmıko em Qui Mar 22, 2018 9:50 am





ㅤㅤㅤㅤA festa de natal apareceu em um bom momento, a rotina de afazeres estava estressante e a falta de folga do trabalho só piorava. Você pensa que eu quis isso, fiz essa escolha e agora não deveria reclamar. Mas reclamo sim, por que é pior que o inferno ser mulher grávida nesse país de merda. Não reclamem quando vocês morrerem e suas almas for jogadas em um alçapão quente e cheio de estacas para empalar vocês.
ㅤㅤㅤㅤComo deixam engravatados fazer leis que só escravizam vocês? Um mercado de trabalho que não visa dar lucro algum para você e ainda lhe tratar como uma coisa, um serviçal sem direito nem para respirar direito? É vergonhoso, arrotarem vantagens e deixar seres iguais a vocês fazer essa exploração. Sabem quantos países no mundo NÃO PAGAM salário maternidade para uma mulher? Dois! DOIS! Guiné-Bissau e EUA! Vão tomar no cu! São muito pobres os EUA coitados, não podem pagar esse tipo de ‘regalia’. Sabe quanto do dinheiro de imposto que a população paga é usada nessa indústria de guerra? SESSENTA POR CENTO! Mais da metade de todo imposto que você paga, vai para construir armas. Por isso que nem saúde a população tem direito, claro, hospital público, para quê? Privilégio demais, não é mesmo?
ㅤㅤㅤㅤVejamos como ficam as pessoas nascidas e criadas dentro desse sistema, não vamos muito longe temos vários exemplos aqui mesmo. Estamos aqui numa festa de natal e eu estou irritada! Vários pontos contribuíram para isso, já eu enumero para vocês, mas agora estou vendo que o meu marido está voltando após eu pedir algo para beber com dois litros de cerveja. Olho para ele, que se acomoda confortavelmente como não tivesse feito nada errado. Tanto que coloca a cadeira do meu lado e consigo perceber os olhos dele em cima dos meus peitos.
ㅤㅤㅤㅤ- Você não esqueceu nada? – pergunto para ele.
ㅤㅤㅤㅤA resposta não veio, ele só olhou para mim com a expressão de que não sabia do que eu falava e começou a enfiar a mão dentro do meu vestido. Respiro fundo e fecho as pernas, a barriga não permitia eu cruza-las, mas podia muito bem fechar elas.
ㅤㅤㅤㅤFaço sinal para uma pessoa que estava com uma bandeja de sucos na mão e pego um copo para mim. E mais uma vez tenho que segurar o pulso de Terry e falar para ele parar de enfiar a mão no meio das minhas pernas. Era irritante e cômico ao mesmo tempo, igual criança birrenta. Quanto mais você fala para não fazer, mais quer fazer.
ㅤㅤㅤㅤFome, primeiro ponto para enumerar aqui. Não tinha comido em casa, íamos numa festa com comida. Logo comecei a sentir o estomago vazio, ele parece ficar se movimentando, é uma sensação estranha. Vocês já nascem e entende esse tipo de coisa. Eu não nasci com isso, estou sentindo agora. É estranho e incomodo.
ㅤㅤㅤㅤ- Para, Terri! – falo e levanto da cadeira.
ㅤㅤㅤㅤMovimento rápido. Fico tonta. Escoro na mesa. Como estou com fome e querendo o fazer parar de querer enfiar a mão na minha boceta, vou para onde está a mesa de comidas. Onde colocaram dispostos pratos e talheres para pegar a comida das bandejas e levarem para as mesas. Mas eu não iria ficar fazendo idas e vindas. Inclinei para pegar uma bandeja de sanduíches pequenos. Pareciam mini-hambúrgueres, não faço ideia. Mas peguei tudo e voltei com todos para a mesa que eu estava.
ㅤㅤㅤㅤSaindo da nossa bolha, vejo-o olhando para o palco, ainda estava tendo o show. Eu já sabia que a menina que ia se apresentar era filha de Iori Yagami e também sabia que teria um show dos dois. Mas ninguém sabe o que eu havia presenciado na minha casa antes de hoje, então coloco a bandeja na mesa e me sento.
ㅤㅤㅤㅤ- Se divertindo de novo olhando a calcinha dela? – falo encarando Terry.
ㅤㅤㅤㅤEle me olha como se fosse absurdo ou como não soubesse do que eu estava o acusando. Mas modos por modos, a garota não tinha nenhum e meu marido menos ainda quando se tratava de ficar com os olhos em cima do corpo de alguém. Mas vamos assinalar como sendo o segundo motivo de eu estar irritada.
ㅤㅤㅤㅤPor que eu cheguei a minha casa depois do trabalho, cansada e querendo só relaxar quando me deparei com a garota do palco, sentada na minha sala de pernas abertas e meu marido, fumando, como se aquilo fosse a coisa mais natural. É claro que não tem como ficar quieta com isso. Naquele momento que vi a cena, deixei minha bolsa cair no chão, joguei a jaqueta jeans que eu segurava para cima da garota e virei para encarar ele.
ㅤㅤㅤㅤ- Foi por isso que ficou em casa?  Eu tenho que ficar trabalhando o dia todo e você aqui bebendo e fumando com mulheres abrindo as pernas para você?
ㅤㅤㅤㅤA discussão foi longa, eu falei mais que ele, claro. E foi o que veio novamente em minha mente quando voltei para mesa e ele estava lá, olhando para o palco como se fosse natural. Ele desviou o olhar de mim para pegar um hambúrguer da bandeja, respirei fundo e peguei também para comer.
ㅤㅤㅤㅤE vamos entender o porquê de tudo isso aqui, enumerar o terceiro motivo de toda irritação. Mudanças, várias! Ocorrendo ao mesmo tempo em meu corpo, não tinha como passar por todas como se eu estivesse plena e flutuando num lago calmo. Não tinha como. Lorota de quem fala que ser mãe é uma maravilha e a melhor coisa do mundo. É uma merda! Sinto várias dores, toda hora quero ir ao banheiro mijar, seios doem, costas doem e sem falar das tonteiras, a fome e a preocupação. Sim, por que sou uma demônio e tem mais esse ponto para eu tomar cuidado, meu poder, como a manifestação dele pode afetar a criança. Nada lindo até aqui. E havia a preocupação a mais do que fazer, por que não iria receber nada no período de ganhar a criança e me recuperar para voltar ao trabalho. Por isso a indignação com essas leis humanas de merda.
ㅤㅤㅤㅤEu já tinha comido cinco daqueles pães recheados, quando começou a brincadeira de fato. As coisas passaram até rápido, Keith e Duck cumprimentaram Terry ao passar. E o decorrer da brincadeira continuou. Mas novamente ele foi pegar cerveja, mas não voltou com as canecas, foi até o balcão e com certeza ficou distraído demais para esperar a cerveja. Fiquei o encarando, séria.
ㅤㅤㅤㅤE lá estava, o comportamento inocente, que não fez nada demais. Ele pega o presente e vai entregar. Afinal estava travada a brincadeira, eu estava satisfeita de tanto comer e beber. Já teria de ir ao banheiro, aquilo já veio na mente, beber muito líquido, grávida, não era uma boa ideia.
ㅤㅤㅤㅤMas o que vi, fez-me dispersar sobre a vontade de ir ao banheiro, coloco a mão no rosto escondendo os olhos. Era aquilo mesmo? Ele tinha dado um tapa na bunda de um ser fantasmagórico?
ㅤㅤㅤㅤ- Você não tem jeito mesmo, não é? – falo para ele quando este se senta ao meu lado.
ㅤㅤㅤㅤMas ele não responde não por não querer, mas porque chegam o irmão dele e a mulher em nossa mesa. E ela simplesmente não sabe quem eu sou. E ainda está aborrecida por não ter sido convidada para a festa. O que abafou um pouco eu ouvir a entrega de presente de Hisako, que chamou minha atenção ao falar meu nome.
ㅤㅤㅤㅤ- Eu. Sou Lilith Skyamiko Bogard, licença é minha vez. – falo me levantando e deixando a missão de explicação para meu marido.
ㅤㅤㅤㅤPego uma sacola de papel que continha um embrulho e vou de encontro a fantasma. Recebo meu presente e agradeço, duas vezes, pelo presente e por ter descido do palco. Não era um lugar que eu iria subir. O presente era lindo, mas a necessidade dele naquele momento não existia. Indo de casa para o trabalho, grávida, com várias preocupações. A de por joias para sair era a coisa que nem estava em meus pensamentos.
ㅤㅤㅤㅤ- Obrigada, Hisako. É lindo.
ㅤㅤㅤㅤAcabei por retornar a mesa e deixar o presente que tinha recebido para ficar mais a vontade para entregar o presente para meu amigo oculto.
ㅤㅤㅤㅤ- É o segundo ano ou o terceiro? Não sei, mas sempre vem para mim um nomezinho dessa família, felizmente os nomes são das meninas adoráveis que existe nos Yagami. – sorrio e olho para a mesa onde estavam as duas jovens.
ㅤㅤㅤㅤ- Feliz Natal, Carol. Eu pensei em comprar algo, entrei na loja e tudo, mas achei algo melhor na minha ‘biblioteca’. Soube que gosta e sei que isso vai te auxiliar muito. – falo e estendo a sacola com o embrulho para a menina.
ㅤㅤㅤㅤAo abri-lo ela veria do que se tratava, foi difícil descobrir o que ela gostava, mas ainda não perdi o jeito em fazer pesquisas. Depois que ela pegasse seu presente, lhe daria um beijo e voltaria para o lugar que havia saído, para sentar.



_________________
avatar
Ƨяα.Bogard♔ĿıſıthƧkɣαmıko
Administrador
Administrador

Aniversário : 30 de Outubro.
Lugar de Origem : Moscou, Rússia
Mensagens : 244
Data de inscrição : 10/08/2017

https://myalbum.com/album/R7bmZc1yVZWF

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ☆ Natal 2017 ☆ Ocultos de Second

Mensagem  ༒ ℭassy em Qui Mar 22, 2018 2:33 pm

Cassy adorava saborear um Martini e enquanto fazia isso seus olhos continuavam passando pelo lugar. Ela demorou mais no loiro de óculos escuros, ela sabia que ele fazia parte dos mercenários e uma curiosidade surgiu em sua mente quanto a isso. Mas deixou para lá as dúvidas para pesquisa futura e tratou de analisar o corpo do homem.
Ela tinha se acomodado no banco do balcão, virando de costas para atendente e ficando de frente para o movimento, cruzando as pernas e encarando o soldado loiro. Por ser baixa, os pés da agente não tocava no escoro do banco, mas ela estava bem a vontade. Com a taça da bebida nas mãos, segurando com a direita e pegando com a esquerda o palito com a azeitona de dentro do líquido e colocando na boca.
O homem bêbedo parecia estar deixando o outro irritado, mas este levava a situação muito bem, sempre contornando as coisas da forma que podia. A mulher tatuada trocou de alvo, agora seus olhos estava numa garota de cabelos azuis, que parecia mudar de cor com a coloração das luzes do ambiente.
Terminando de mastigar a azeitona e bebendo mais um pouco do drink, Cassy passava do rosto para o corpo da soldada.
- Delicia... – ela murmura.
Mas não se sabe sobre o que ela falava, seus olhos iam para uma mulher de cabelos curtos e parecia ter um chicote preso na cintura. Um sorriso de canto estava nos lábios da garota, seria bastante interessante a pesquisa com cada um deles. O mais desagradável estava sendo o moreno musculoso, que tinha o péssimo habito de se embebedar e achar que era engraçado, fazendo cenas ridículas.
O general não estava na festa, pelo menos Cassy não havia localizado ele em nenhum lugar da casa de festas até agora. Ela termina de beber o drink, coloca a taça no balcão e desce do banco. Caminha para próximo das mesas onde estavam os convidados que trocavam presentes.
Ela ficou ao lado da mesa disposta com frios. Não queria chamar atenção para si e era um ponto cego para grande parte dos convidados. Seus olhos localizou outro soldado da Ikari, este estava na mesa com duas outras pessoas. Cassy reconheceu alguns rostos do vídeo que havia assistido, demorando seu olhar num negro com moicano e num outro homem que tinha uma cicatriz na testa.
O ruivo chama atenção da agente, mas está olha para uma ruiva, que demonstrava irritação com alguma coisa duas mesas ao lado. Ela estava grávida e exalava irritação. Mesmo vendo algumas pessoas conversando entre si em sua mesa. Cassy passou os olhos nos dois loiros que conversavam ali, alguns traços eram parecidos, mas teria que olhar muito para ver isso, uma olhada rápida e ninguém falaria que são irmãos.
Para continuar disfarçando, ela pegou um pratinho e serviu-se com queijos que havia ali. Caminhou com calma, passando do lado da mesa do negro e uma mulher que parecia estar junto com ele. Isso deu para capitar um pouco do que cada um conversava ali. O outro homem estava do outro lado e havia alguém fazendo entrega de presentes, uma menina que a ruiva havia presenteado. Cassy decidiu por voltar para o balcão das bebidas e deixou o prato que havia pego pelo caminho em uma das mesas, vazio.
avatar
༒ ℭassy
Visitante
Visitante

Aniversário : 22 de Abril
Lugar de Origem : Desconhecido.
Mensagens : 25
Data de inscrição : 02/03/2018

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ☆ Natal 2017 ☆ Ocultos de Second

Mensagem  ᘛℭаяoℓ, ᵗʰᵉ ƤƛƖƝƜӇЄЄԼ 【✤】 em Qui Mar 22, 2018 6:06 pm



O meu amigo oculto!


ㅤㅤㅤDesde que chegamos no Old Line, venho pensando na possibilidade de ter comprado um presente errado ou talvez infantil demais para o meu amigo oculto. Sei que na hora eu não pensei nisso, quando terminei minhas pesquisas e achei que seria interessante dar isso como uma lembrancinha a um antigo amiguinho dele, mas depois de um comentário maldoso que eu vi, eu fiquei toda preocupada. Alice me reconfortou durante toda a viagem do Japão até 2ND. Ela disse que ele não iria rejeitar um presente de amigo oculto, que ele sempre foi bem receptivo quanto as coisas que ganhava.

ㅤㅤㅤNa festa, eu fiquei emocionada com o show do papai e da irmã Candy. Filia havia me contado do show que ela presenciou da Candy e que achou ela muito exibida para o gosto dela. Não entendi naquele dia o que ela quis dizer, mas assistindo pela primeira vez, acho que ela quis se referir ao tamanho da saia da irmã mais velha. Bem... Acho que Filia não pode julgar muito a Candy, uma vez que ela também use uma saia bem pequena para quem estuda e luta ao mesmo tempo...

ㅤㅤㅤA letra da música Let’s Have Some Fun me lembra dos tempos que era criança e colocava músicas altas no quarto para ficar pulando e dançando. Eu fazia muito isso quando ficava em casa sozinha, com meu cachorrinho Poppy, principalmente nos dias que a mamãe ia ao mercado e o papai ainda não tinha voltado do trabalho. Esse som mais animado da Candy é um dos meus favoritos! Acho que vou até mesmo comprar um dos Cds dela para ajudar. Logo veio o dueto dela e do papai, em japonês. Nunca imaginei que o papai cantasse tão bem e o quão grave e imponente era sua voz no palco. O sentimento que ele passa na sua canção, mesmo que negativo, era muito envolvente. A forma como ele passava sua paixão pela música fazia qualquer um que desconheça seus trejeitos, estranharem com o que estavam vendo. O que Keith disse depois que a brincadeira começou, ao ser presenteado pelo papai, é uma verdade. Ele é um cara legal. Eu nunca o vi como uma pessoa ruim, mesmo falando de Orochi no corpo dele ou das coisas ruins que ele fez no passado sombrio. Papai Iori é um homem muito legal e carinhoso, ele me salvou de uma crise, me deu um lar para morar e uma família gigante, que me apoia e me ama como se eu fosse uma de sangue. Eu me sinto tão bem aqui!

ㅤㅤㅤ── Alice, eu acho que vou pedir para o papai e a Candy se apresentarem mais vezes. ── Comentei.

ㅤㅤㅤ── Seria uma boa ideia! Eles são muito bons! ── Alice me deu seu apoio.

ㅤㅤㅤ── Não para uma questão de fama ou dinheiro, mas... as músicas deles os fazem expressarem seus sentimentos de uma forma que não estamos acostumadas a ver. O papai por exemplo... Ele é diferente no palco. É como se fosse outra pessoa ali, cantando, falando... será que vamos conseguir pressioná-lo para fazer mais shows?

ㅤㅤㅤEste foi um dos tópicos que conversamos durante o começo do amigo oculto, além de ter começado mal nas nossas adivinhações sobre quem ia tirar quem. De todas as possibilidades que pensamos para a brincadeira, erramos todas! E foi mais divertido assim, além de inesperado. Fiquei ansiosa para a minha vez. Foi o papai, foi a Chizuru-san, foi a Yuriko-san, Candy, Alice...

ㅤㅤㅤ── Poxa, eu vou ser a última mesmo? ── Fiz uma carinha triste.

ㅤㅤㅤDepois que a Hisako-san apresentou sua amiga oculta, eu fiquei olhando para a senhora Bogard e voltei a falar sobre isso com a Alice.

ㅤㅤㅤ── Ela está grávida, não está?

ㅤㅤㅤ── Sim! Acho que de seis meses ou mais.

ㅤㅤㅤ── Será que é menino ou menina? ── Perguntei.

ㅤㅤㅤ── Como vou saber? ── Ela me olhou por um instante.

ㅤㅤㅤ── Estou em dúvida sobre meu presente ainda! ── Seguro ele em mãos.

ㅤㅤㅤ── Acha que pode ser um presente antecipado para o bebê? ── Alice questinou.

ㅤㅤㅤ── Bom... acho que sim. Eu não esperava que eles fossem ter um bebê.

ㅤㅤㅤEu olhei para o papai e Chizuru-san e depois para o Terry e Lilith.

ㅤㅤㅤ── Acha que o papai e a Chizuru-san vão ter um bebê no futuro?

ㅤㅤㅤ── Sem dúvidas! ── Rebateu Alice. E continuou. ── Já contou quantos irmãos são nessa família?

ㅤㅤㅤ── É verdade...

ㅤㅤㅤLilith começou a falar do amigo oculto dela e da dificuldade que ela teve para encontrar algo que fosse combinar com essa pessoa. Ela não subiu no palco, mas veio até a mesa onde estávamos eu e Alice e apontou para mim. Eu sorri. E levantei, aproximando-me dela para poder pegar a sacola com o embrulho dentro. Eu vi que se tratava de um livro, o The Green Witch, um guia completo sobre a mágica natural de ervas, flores, óleos e mais. Ela deve ter visto em algum lugar que sou bastante apaixonada por flores e jardins. Olhei para ela e agradeci bastante empolgada por ela ter se lembrado de mim assim!

ㅤㅤㅤ── Obrigada! Mesmo! Muito obrigada! ── Abracei a senhora Lilith com cuidado, não querendo apertar a barriga dela e nem causar algum desconforto para ela. ── Eu desejo um feliz natal para você, o bebê e o senhor Bogard! ── Sorri!

ㅤㅤㅤBem, nos separamos. Eu olhei pro palco. Era a minha vez. Todos olhavam para mim. Estou nervosa. Um pouco confusa. E também, já não era mais surpresa quem seria ou não o meu amigo oculto. Ele já havia acabado de descer depois de presentear a Hisako. Eu fui até o palco, fiz igual o restante fez. Não deixei que minha vergonha ou o medo de minha aparência tirasse o melhor de mim. Subi as escadas e fui até o pedestal do microfone.

ㅤㅤㅤ── Boa noite, Old Line. Meu nome é Carol e... eu quero apresentar a vocês o meu amigo oculto. É a segunda vez que recebo o nome dele. Ao invés de bater na mesma tecla de sempre, eu preferi comprar algo que lhe sirva como uma lembrança a ele de um amigo que talvez não esteja tão próximo como antes fora. Eu sei que isso pode ser infantil, mas, eu não resisti em comprar essa pelúcia para ele. ── Fiz uma pequena pausa. ── O meu amigo oculto é o senhor Terry Bogard!

ㅤㅤㅤQueria eu poder dizer mais coisas naquele momento, mas me faltaram palavras. Eu sei que estavam todos os amigos dele ali, maioria era as pessoas que lutaram ao lado dele, conviveram com ele em diferentes momentos da história da cidade, os bons, os ruins, os tristes e os mais felizes, mas acho que nesse momento, eu só queria entregar a ele esse presente em especial e que talvez, ele pudesse servir para o bebê que estava por vir. Quando Terry veio ao meu encontro, eu estiquei meus bracinhos magros e finos para ele, com o embrulho nas mãos. Se ele abrisse, veria que era um macaquinho de pelúcia, uma lembrança do amiguinho de estimação dele de muitos anos atrás.

ㅤㅤㅤ── Eu vi em sites antigos que você tinha uma mascote para andar com você. Então... eu espero que goste. Talvez, ele seja o primeiro brinquedo do seu filho! Feliz natal!

ㅤㅤㅤDepois que entreguei o presente a ele, acho que a brincadeira se encerra com ele. Eu desci do palco e voltei para a minha mesa, um pouco mais confortável.

avatar
ᘛℭаяoℓ, ᵗʰᵉ ƤƛƖƝƜӇЄЄԼ 【✤】
Visitante
Visitante

Aniversário : 23/10/2002
Lugar de Origem : Maplecrest - Nova Meridian
Mensagens : 32
Data de inscrição : 28/09/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ☆ Natal 2017 ☆ Ocultos de Second

Mensagem  Ɽµηηιηɡ☆Ⱳιɭδ☆Steel☆Wölf em Ter Mar 27, 2018 9:47 pm





ㅤㅤㅤㅤ E lá estava o vagabundo sem um puto no bolso, tentando curtir o resto que tinha de festa bolinando sua esposa sem pensar no amanhã. Aquele cara já havia passado por maus bocados em toda a sua vida e provavelmente continuaria passando perrengues até o dia em que seria encerrado num caixão. Era a vida e ele não ia se desesperar por causa disso. Sempre haveria uma saída, sempre haveria um caminho para permanecer por aí trocando porradas, comendo e bebendo, dormindo e acordando.
ㅤㅤㅤㅤ Lá estava sua esposa, a mulher que desafiou o Céu e o Inferno, sobretudo a Terra, com a ideia louca de abdicar de tudo para se tornar uma mulher normal, carregando uma criança em sua barriga sem qualquer definição de como seria seu futuro. O velho vagabundo deixava as preocupações para momentos em que deveria se preocupar. Ou era isso ou não viveria mais.
ㅤㅤㅤㅤ Lilith havia adquirido boa parte de sua humanidade ao deixar de lado os seus poderes para poder engravidar. Com isso, todos os chiliques de uma mulher normal vieram junto… Sim… todos…
ㅤㅤㅤㅤ Terry Bogard apenas meneou negativamente a cabeça e deu um sorriso ante o estorvo da mulher com relação à Becky no palco. Antes de entregar seu presente quando a brincadeira havia travado, Lilith havia feito essa observação, já que alguns dias antes o louro recebera a filha de Iori em sua casa. O que Skyamiko dificilmente entenderia naquele momento era que a garota Yagami era considerada uma sobrinha para Terry.
ㅤㅤㅤㅤ Lilith ainda havia feito outra observação carregada quando o Running Wild voltara da entrega do presente para Hisako. Terry nem havia escutado, pois viu que seu irmão e sua cunhada estavam se aproximando, com Mai fazendo toda aquela firula de sempre.
ㅤㅤㅤㅤ — Iiiih… Fala ‘aaeee’! — disse Terry para o casal em detrimento da estupefação da cunhada.
ㅤㅤㅤㅤ Lilith não se mostrou muito receptiva com a Shiranui, o que não surpreendeu o louro. A ruiva do além não era muito agradável com as mulheres que faziam parte da história do louro, não importasse quem fosse. O Lobo deu de ombros e começou a trocar ideia com seu irmão.
ㅤㅤㅤㅤ — Então vem um moleque aí… — disse Andy.
ㅤㅤㅤㅤ — Sei lá, bro! Não sei se é garoto ou garota! — retrucou Terry.
ㅤㅤㅤㅤ — E o que você prefere? — perguntou Mai.
ㅤㅤㅤㅤ — Eu prefiro que nasça sem problemas algum… Menino ou menina não faz diferença pra mim.
ㅤㅤㅤㅤ Terry fez um sinal para Mary que estava bem afastada da galera para que se chegasse à mesa, mas ele não tinha certeza se ela havia visto, já que não apareceu. A conversa do casal herdeiro dos Shiranui e Terry foi rendendo até Lilith voltar.
ㅤㅤㅤㅤ — Você anda muito emburrada, Sky! — disse Terry dando um longo gole na cerveja e colidindo a caneca contra a mesa depois.
ㅤㅤㅤㅤ — … O meu amigo oculto é o senhor Terry Bogard. — disse a menina que estava na vez.
ㅤㅤㅤㅤ — Ih! — Terry se virou para a esposa — é a minha vez de receber o presente. — e deu uma piscadela.
ㅤㅤㅤㅤ Lá foi o vagabundo receber o seu presente naquela festa organizada por Yagami. Ele deu uma piscadela para a garotinha e a ergueu nos braços, abraçando-a e dizendo:
ㅤㅤㅤㅤ — Muito obrigado pelo presente, mocinha. Vou abrir em casa.
ㅤㅤㅤㅤ Terry acenou para os demais em agradecimento, mas aquele encerramento não ficaria a seu cargo. O louro deu uma olhada para aquela peituda de cabelo exótico e rabo volumoso e em seguida, batia três vezes com a palma da mão destra contra a mão oposta em formato de copo, demonstração que fazia para Clark que, se o encarasse, veria Terry em seguida apontando para a rabuda e movendo os lábios para o mercenário pudesse ler:
ㅤㅤㅤㅤ — Tá fo-di-do!
ㅤㅤㅤㅤ O louro voltaria para sua cadeira, sentado mais com as costas do que com a bunda, daquela maneira peculiar de aluno “cu cansado”.




avatar
Ɽµηηιηɡ☆Ⱳιɭδ☆Steel☆Wölf
Vagabundo
Vagabundo

Aniversário : Quinze de Março.
Lugar de Origem : Southtown, Flórida
Mensagens : 142
Data de inscrição : 10/08/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ☆ Natal 2017 ☆ Ocultos de Second

Mensagem  Rєbєccα◣Cαиdy Cαиє◥Yαgαмi em Qui Mar 29, 2018 9:04 pm






PARTY ALL NIGHT!




ㅤㅤㅤㅤCandy estava curtindo a brincadeira, ela acabou por indo parar perto de Yuriko, mesmo que a irmã não estava lhe dando muito atenção. O que fez a cantora sair de perto dela e ir para a mesa de sua irmã Amy. Que chegara na encolha, com alguém acompanhando ela.
ㅤㅤㅤㅤ- Well well well... Your boyfriend, Sis? – ela fala de forma traiçoeira.
ㅤㅤㅤㅤ- Candy... – Amy murmura com ar de ameaça.
ㅤㅤㅤㅤ- What? – ela questiona com ar de desentendida e ergue as mãos como se estivesse sendo rendida pela polícia.
ㅤㅤㅤㅤAinda caminha, dando a volta na mesa, sentando na cadeira vazia ao lado do rapaz. Que agora estava no meio das duas irmãs. Ela só ficou ali jogando piadas para o cara e ainda provocando a irmã, que sempre se irritava por pouca coisa. Ainda mais quando se tratava de Candy Cane.
ㅤㅤㅤㅤQue revezava entre falar e beber. A cada garçonete que passava com a bandeja de bebidas cheia ela puxava uma para si e incrivelmente estava com o copo vazio quando aparecia outra bandeja de bebidas dando sopa em sua beira. A brincadeira passou sem muitos incidentes, tirando os shows dos dois soldados da Ikari.
ㅤㅤㅤㅤCandy acabou torcendo o nariz para aquilo. Algumas situações pareciam encenações ruins de um grupo de teatro amador.
ㅤㅤㅤㅤ- Disgusting...
ㅤㅤㅤㅤEla murmura e acaba saindo dali para ir ao banheiro, deixando um tapa nas costas do namorado da irmã ao se levantar.
ㅤㅤㅤㅤ- Exemplos do que não fazer, Nothing. – ela acaba por falar errado o nome dele.
ㅤㅤㅤㅤA cantora que ia ao banheiro acabou desviando e indo para trás do palco novamente, alguém estava com dúvidas sobre o que fazer com o equipamento, como se não houve mais show. Ela acabou falando para ninguém tirar nada do palco, ainda teria show e que tinha muita festa pela frente ainda.
ㅤㅤㅤㅤ- Why the rush? There’ll be Killer Bambies all night!!!
ㅤㅤㅤㅤFoi que aconteceu quando a ruiva notou que ninguém aparecia mais no palco e nem falava nada. Ela pediu para um carinha que estava mexendo no cabeamento chamar as meninas da sua banda e organizou para ir ao palco, para mais uma música.
ㅤㅤㅤㅤ- HEY GYUS! I KNOW YOU HERE FOR FUN! AND ROOOCKK’N'ROOOOLLL!
ㅤㅤㅤㅤEla grita no microfone e instrumental da sua música começa. Ainda mais alta, envolvente e barulhenta que a primeira que ela havia cantado.
ㅤㅤㅤㅤ- LET’S PARTY ALL NIGHT!!!!!! YEEEAHHH!
ㅤㅤㅤㅤE ela se envolveu na música, cantando e seguindo o ritmo e andando pelo palco agitando quem se aproximava do palco. Fazendo o pessoal cantar o refrão com ela.

“So go Downtown

Things 'll be great when you're Downtown

No finer place for sure, Downtown

Everything's waiting for you

Downtown”






avatar
Rєbєccα◣Cαиdy Cαиє◥Yαgαмi
Visitante
Visitante

Aniversário : 27 de Outubro
Lugar de Origem : Toronto, Canadá
Mensagens : 19
Data de inscrição : 01/12/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ☆ Natal 2017 ☆ Ocultos de Second

Mensagem  Đεstroчεr ⌠ 八神 庵 ⌡ em Sab Mar 31, 2018 7:58 pm


REVELAÇÕES
O que pode acontecer de ruim quando duas telepatas se encontram?
Em 2ND South Town


ㅤㅤ── E isso é tudo. ── Termino de contar a origem de Yuriko para Chizuru. Ela parecia séria em relação à descoberta da mãe ainda viva da minha filha psíquica. Mas ela não aparentava em nenhum momento ter a mesma preocupação que demonstro ter.

ㅤㅤ── Eu preciso impedir de que ela faça algo. Essa mulher não é brincadeira! ── Quando vou me levantar, sinto a mão de Chizuru segurando firmemente meu antebraço. Voltei meu olhar para a sacerdotisa já sabendo que ela vai me dizer algo e que com certeza irá contra a minha vontade.

ㅤㅤ── Iori... ── Ela começou. ── ... eu entendo a preocupação que tem com Yuriko, mas uma hora ou outra, ela saberá da verdade.

ㅤㅤEu entendo o que Chizuru quer fazer aqui. Ela estava tentando, de alguma forma, me fazer dar o braço a torcer e permitir que as duas se conheçam e que de alguma forma isso seria a melhor coisa a se fazer do que ter de esperar mais tempo.

ㅤㅤ── Yuriko não reage bem a surpresas. Você viu como ela ficou quando descobriu a existência de Lilith e Yue.

ㅤㅤ── Agora é tarde demais para se preocupar com isso. Você terá de confiar na sua filha. ── Ela soltou meu antebraço. ── E será melhor para ela se a verdade vier de você, não de outra pessoa.

ㅤㅤFiquei por um tempo pensando no que fazer. Nem vi o desenrolar da brincadeira e tão pouco quem tirou quem depois que voltei para o meu lugar. Busquei soluções que parecessem plausíveis para uma situação como esta, mas nenhuma delas, pelo menos para mim, terminava bem. Acontece que fiquei tocado pelo o que a Chizuru disse sobre confiar na Yuriko, de acreditar de que ela não vá surtar e se decepcionar com uma revelação grande dessas e que foi escondida por mim durante todos esses anos.

ㅤㅤEu estou sem saída aqui dentro. Ou deixo as coisas acontecerem naturalmente ou intervenho. Sai de onde estava e fui em direção a convidada inesperada da festa. O som da banda de Candy, o Killer Bambies, voltou a tomar conta de todo o Old Line. Não precisei pedir para Rebecca subir ao palco e entreter os convidados e demais com suas músicas enquanto resolvo essa questão. No entanto, sei muito bem que boa parte dos marmanjos aqui dentro vão se espremer na frente do palco para desfrutarem de uma visão privilegiada das partes baixas da rebelde ruiva. Tsc. Com o som alto e a voz dela tomando conta dos arredores, eu fiz uma aproximação nada amigável de Claudine, que aparentava já estar esperando por isso.

ㅤㅤ── Sentiu saudades? ── Começou ela.

ㅤㅤParo em frente da mesma no balcão. Ela havia pedido mais uma taça do vinho que estava bebendo. Ela sorria para mim e cruzava as pernas, como se tentasse atrair minha atenção para suas curvas provocantes. Ela falha miseravelmente nisso e sabe muito bem o porquê.

ㅤㅤ── Quais são os seus propósitos aqui? ── Disparei. Mas tenho que tomar cuidado com ela. Essa mulher é mestra em controlar as mentes das pessoas, tão perigosa quanto Yuriko. Tudo o que ela disser, terei de analisar cuidadosamente para não cair em alguma armadilha. Conversar com uma telepata era a pior merda que uma cara como eu poderia fazer.

ㅤㅤ── Não parece óbvio para você, querido? ── Ela desvia o olhar para onde Yuriko estava. ── Afinal, você mesmo disse que eu poderia encontrá-la se quisesse, lembra?

ㅤㅤFoi no dia do aniversário da garota que recebi uma inesperada ligação dessa mulher, alguém que não deu importância alguma para o que aconteceu com a filha no tempo que ela foi raptada e feita de cobaia por anos, transformada numa arma de guerra, com seus dons usados para causar a morte e destruição de muitas pessoas inocentes (e não inocentes também). Uma condição que colocou minha filha na lista dos mais procurados no mundo inteiro pelos crimes que ela fora obrigada a cometer, seguindo ordens de quem quer que fosse o responsável daquela merda de lugar.

ㅤㅤRespirei fundo e tentando me concentrar na conversa que estávamos tendo sem deixar que o som do palco e da plateia desviasse minha atenção.

ㅤㅤ── Sei muito bem que você não está aqui somente para se reconciliar com ela. Seu sorriso não me engana. Você está tramando alguma coisa, posso ter certeza disso. ── Quis deixar evidente que desconfio dela. O movimento de mãos se fechando e abrindo haviam denunciado minha insegurança para ela.

ㅤㅤ── O que você espera que eu faça? ── Perguntou, com o mesmo sorriso provocante e um olhar interesseiro.

ㅤㅤ── Espero que não tente leva-la para os seus esquemas. ── Foi a primeira coisa que resolvi colocar em pauta aqui. Claudine não era o tipo de mãe que fazia coisas que uma mãe se orgulharia. Ela sempre se comportou como uma vilã, despreocupada, pensando ser intocável por conta dos poderes grandiosos que possui. Ela não tinha a mesma insegurança que Yuriko tem em relação aos poderes e a forma como usá-los. Já vi muitos sucumbirem aos controles de Claudine, eu mesmo quase fui um destes pobres infelizes.

ㅤㅤ── Hm... Posso te garantir que essa ideia nem passou pela minha cabeça. ── Ela voltou novamente para onde Yuriko estava. ── É surpreende ver que ela se parece muito comigo. E esse namorado dela? Ele aparenta ser o tipo de homem protetor, mas ao mesmo tempo dominante... hum...

ㅤㅤ── Evite fazer esses comentários perto dela. Você irá confundi-la.

ㅤㅤ── Pude perceber que nossa filha não domina totalmente seus poderes. Aqueles cientistas falharam em extrair todo o potencial dela. ── esse foi um comentário bem suspeito. Não era de se espantar que essa maldita soubesse de mais coisas sobre tudo e todos.

ㅤㅤ── O que quer dizer com isso? ── Nessas horas que tenho de selecionar as palavras certas, fazer as perguntas nos momentos ideais para conseguir uma informação nova sem que ela percebesse que estou tentando extrair algo de si. Ser investigativo sem parecer é uma merda.

ㅤㅤ── Não trato o sequestro dela como algo ruim. Serviu para fortalece-la. Um tratamento de choque que ajudou a desenvolver os poderes que herdou de mim.

ㅤㅤ── Não vejo esse trauma como algo benéfico para ela. Você não sabe como ela estava quando saiu daquele lugar, parecia uma criança perdida em um mundo desconhecido, sem saber se portar ou conversar com os outros. O espirito alegre e hiperativo dela foi despedaçado ali dentro.

ㅤㅤ── É aqui que nossas opiniões se dividem, meu querido. O que aconteceu com ela, ao meu ver, só tornou as coisas mais interessantes! Ela precisa de ajuda para entender os poderes que tem e dominá-los com perfeição. Você conhece o potencial dessa menina... não é à toa que ela puxou mais a mim do que você. ── Ela piscou o olho direito para mim, se gabando por isso.

ㅤㅤ── Eu não deveria.... mas permitirei que tenha UMA CHANCE de conversar com ela.  ── Virei-me de costas.

ㅤㅤ── Eu sabia! Sua mulher parece ter grande impacto nas suas tomadas de decisão. Diria eu que ela fisgou um peixe e tanto, hum? ── Essas provocações só alimentavam minha vontade de virar a mão na cara da infeliz. Mas me contive.

ㅤㅤ── Pense o que quiser. Eu não dou à mínima para você. No entanto... antes de irmos, quero que você me diga uma coisa...

ㅤㅤEu sei que vou me arrepender de perguntar isso mas é melhor ouvir uma explicação dela antes do que esperar que ela faça isso depois, com Yuriko por perto.

ㅤㅤ── Não precisa esconder nada de mim, Yagami. Sua mente é como um livro aberto. E sei muito bem que você vai me perguntar o motivo de não ter te ajudado a salvar a nossa filha naquele tempo...

ㅤㅤ── Humph... explique-se.

ㅤㅤ── Bem... eu não vou mentir para você... ── Não gostei de ouvir a tal verdade dita por ela, na realidade, nem sei se era mesmo verdade ou se ela estava escondendo algo por trás disso. No entanto, não adiantaria ficar enrolando mais.

ㅤㅤFomos eu e ela até a Yuriko. Keith estava por perto. Isso seria bom caso algo ruim acontecesse. Ele saberia como lidar com a garota já que ambos moram juntos desde o incidente dos demônios nas cidades gêmeas. Toquei o ombro da minha filha e chamei-a pelo nome, esperando que ela se virasse para conversar comigo. Nesse exato momento, Claudine estava logo atrás de mim. Posso não estar vendo, mas sei que essa maldita está sorrindo e muito satisfeita de ter conseguido realizar o seu desejo de aproximar-se da Yuriko. Essa era uma péssima ideia e eu estou no centro disso tudo, prestes a descobrir se vou me foder ou se alguma coisa inesperada irá acontecer.

ㅤㅤ── Yuriko, eu quero apresentar você a uma pessoa... ── Dei um passo para o lado, permitindo que a menor visse a mulher logo à sua frente. ── Essa é Claudine Renko... Ela é a sua mãe.

ㅤㅤPreferi não ficar de rodeios. Não faz o meu tipo enrolar, mesmo quando estou incomodado com algo. Resolvi apostar em uma revelação direta, observando como seria sua reação... e torço para que seja uma das melhores.



Última edição por Đεstroчεr ⌠ 八神 庵 ⌡ em Qua Abr 11, 2018 10:03 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Đεstroчεr ⌠ 八神 庵 ⌡
Administrador
Administrador

Aniversário : 25/03/1975
Lugar de Origem : Tóquio, Japão
Mensagens : 158
Data de inscrição : 11/08/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ☆ Natal 2017 ☆ Ocultos de Second

Mensagem  ❖ Yuriko Yagami ❝Ômega❞ em Ter Abr 03, 2018 3:56 pm














Significado



ㅤㅤㅤYuriko voltou para sua mesa depois de entregar o presente para sua irmã. Sentou-se e continuou prestando atenção na brincadeira e também no movimento da festa.
ㅤㅤㅤA última vez que ela havia estado no Old  Line foi para reencontrar Keith, após retornar para Second. Ela continuou na sua lembrança, pensando também que foi naquele dia que ela garantiu uma grande vaga de emprego, com um cargo que iria lhe permitir trabalhar de qualquer lugar. O que era muito cômodo para a garota.
ㅤㅤㅤEla teria uma renda, poderia estar onde quisesse e também estaria com a mente ocupada.
ㅤㅤㅤA japonesa estava relaxada, nada e nem ninguém ali ela tratava como ameaça. Ela resolveu dar ouvidos algumas das falas de Keith, que ela sempre custava entender, mas fazia bom uso delas às vezes. Ela tinha servido da janta que tinha ali, carne de peru e arroz temperado com castanhas e passas. Ela estava acabando de comer quando sua irmã iniciou uma nova música no palco. Dando a entender que a brincadeira tinha sido concluída e que a festa iria continuar, mas com música.
ㅤㅤㅤQuando Yuriko se levanta para pegar uma taça de suco de uma bandeja próxima. A voz de seu pai chama sua atenção, de relance ela via Keith mais próximo também. Ela se vira e enquanto ele falava e dava espaço para ela olhar. Entra no campo de visão de Yuriko a figura de uma mulher que ela nunca tinha visto na vida, mas que lembrava um pouco ela mesma, só que mais velha e mais estranha.
ㅤㅤㅤA japonesa ficou sem reação com a revelação de Iori. Ela continuou encarando a mulher, seus punhos ficaram cerrados, ela apertou ainda mais as mãos, as fechando mais no decorrer do tempo que seu cérebro processava a informação que ela acabara de receber.
ㅤㅤㅤ- Ela não é... Minha... Mãe. – foi o que ela falou e virou-se de costas para os dois, voltando para o seu lugar.
ㅤㅤㅤO conceito da palavra mãe tinha um significado na mente de Yuriko. E aquela mulher, que ela nunca vira em sua vida, não se encaixava naquele conceito e significado.

ㅤㅤㅤA mulher ficou sem reação com a resposta fria da garota. Talvez ela esperasse outra reação, até mesmo um ataque, mas não aquilo que viu. Ela olhou para Iori e avançou para ir até a mesa que a menina voltou a se sentar. Puxando uma cadeira e sentando próximo dela.
ㅤㅤㅤ- Yuriko, eu quero conversar com você. Poder conhecer você. Eu sei que você não me conhece, mas eu vim até aqui para isso, você me conhecer. – Claudine fala e tenta fixar os olhos no da filha.
ㅤㅤㅤMas ela percebeu que a garota estava olhando para qualquer lugar do ambiente, menos para ela. Ela também percebeu que ela estava com o corpo rígido e respirando de forma contida. Ela iria tentar uma conversa mental, mas no primeiro momento que tentou ela sentiu a energia da garota e o olhar dela cruzou com o dela de tal forma que a assustou.
ㅤㅤㅤ- Pelo jeito eu me enganei ao falar para seu pai que você não sabia usar seus poderes. – a mulher ‘estrangeira’ comenta olhando para o rosto de Iori novamente que continuava em pé e tenso próximo das duas.






avatar
❖ Yuriko Yagami ❝Ômega❞
Árbitro
Árbitro

Aniversário : 07 de Setembro
Lugar de Origem : Japão
Mensagens : 88
Data de inscrição : 29/11/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ☆ Natal 2017 ☆ Ocultos de Second

Mensagem  Sєτsuŋα Yαgαмi em Qui Abr 05, 2018 8:41 pm

E A FESTA CONTINUA



Tudo corria bem fora o show ridículo do Ralf. Certamente ele iria negar tudo e eu dei mole em não ter filmado as merdas que ele dizia e fazia, poderia ter usado aquilo como arma contra as tiranias dele na Ikari.
Eu estava ficando entediado apesar da brincadeira continuar. Já tinha matado as duas cervejas que eu tinha pego e eu não podia beber mais e aquilo era o que dava graça pra qualquer rolê mas pra minha sorte, uma garçonete passou com uma bandeja cheia de salgadinhos e eu catei tudo pra mim e pras crianças. ▬ Cai dentro, rapaziada!

Yuriko estava na sua vez após receber seu presente de um sujeito que não conheço. Ela presenteou minha outra irmã Alice, que abriu só um pouco da embalagem e não consegui ver, mas eu tinha uma ideiazinha: usei o Byakugan que de muitas funções que tem, usei a que amplia a visão, naquele caso, em 5 metros. Ainda sim, só vi pouca coisa e continuei sem saber o que era. Dei de ombros. Alice então anunciou Yagami pai como seu amigo oculto e conhecendo o velho Yagami, eu notei que ele gostou do que recebeu da pequena Alice.

Enquanto eu comia vários salgadinhos, olhei para cima e vi que Yagami pai e Alice passavam por nossa mesa e cutuquei os moleques famintos e nós três nos levantamos. Apertei a mão do coroa e Yue fez o mesmo, com a mesma cara de cu de sempre. Lilith estava mais animada em ver o pai e quase explodiu de felicidade quando ela recebeu um beijo na bochecha vindo do velho Yagami. Eu, por outro lado, notei que ele estava tenso demais. ▬ Otōsan, o senhor parece nervoso. Aconteceu algo fora o show vergonhoso do Ralf? ▬ Depois que ele respondeu, eu dei um tchauzinho pra Alice, fazia tempo que não nos víamos, ela estava enorme! Logo após isso, voltamos a nos sentar e comer salgadinhos.

Curiosamente, no meio da comilança, vi Hisako ali. Ela parecia furiosa e decidi deixar ela quieta. Não é bom mexer com fantasmas, ainda mais quando estão nervosos...
Finalmente, achei Terry após ele ir buscar seu presente dado por uma menina que tem uma PUTA RODA MORTAL AGARRADA NAS COSTAS! ▬ Ih ala! Ó o vagabundo ali, ó! ▬ Comentei com Yue, que olhou e voltou a comer seus salgadinhos. Algum tempo depois, Candy Cane volta ao palco pra mais uma rodada de músicas. Ela tocou algo que eu identifiquei como "Downtown" pelo tanto de vezes que ela repetia essa palavra no refrão, mas a música era legalzinha pro estilo que elas tocavam.









Isso é tudo, pessoal!


avatar
Sєτsuŋα Yαgαмi
Visitante
Visitante

Aniversário : 04/09/2000
Lugar de Origem : Osaka, Japão
Mensagens : 25
Data de inscrição : 01/12/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ☆ Natal 2017 ☆ Ocultos de Second

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 5 de 9 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum